FILMES E SÉRIES

aguas profundas

Crítica

Águas Profundas – Suspense picante fala de relacionamentos abertos

Retorno de Adryan Lyne após hiato de 20 anos se propõe a discutir temas densos, mas acaba ficando na superfície

Gabriela Franco

Gabi Franco

O suspense Águas Profundas (2022), que estreou no catálogo do Amazon Prime Video nesta sexta (18), tem nomes como Ben Affleck e Ana de Armas como protagonistas e é o mais novo longa do já conhecido diretor Adrian Lyne em duas décadas.

Podemos dizer que Adrian Lyne tenha praticamente criado um subgênero cinematográfico, o chamado thriller erótico. Diretor de filmes como Atração Fatal, Proposta Indecente, 9/2 Semanas de Amor, ele parece gostar de contar histórias de relacionamentos conturbados pontuados de cenas picantes e sempre tendo uma obsessão sexual limítrofe ao crime como pano de fundo.

É neste clima de suspense que se desenrola a história do casal Vic (Affleck) e Melinda (Armas), que vive um arranjo conjugal meio estranho, não claramente identificável mas que se assemelha a um relacionamento aberto. Em um primeiro momento, parece que ela tem a liberdade de se envolver com outros homens, a partir da qual ela parece se excitar ao provocar o marido, desfilando com seus casos na frente dele e de toda a comunidade ao redor.

Já Vic, um abastado engenheiro de computação, parece não se abalar muito com isso, até que as provocações da mulher atingem seu limite e ele começa a afastar de leve os amantes da mulher com ameaças de morte disparadas casualmente em reuniões sociais da vizinhança de novos ricos em que vivem. Este hábito começa a assustar tanto os incautos casos da esposa quanto os próprios amigos, e o que era visto apenas como uma brincadeira de um marido ciumento, ganha outros tons quando um ex-affair de Melinda é encontrado morto de fato.

Cena do filme Águas Profundas

Trailer do filme Águas Profundas (2022)

Ben Affleck e Ana de Armas no thriller "sensual" que marca o retorno de Adrian Lyne

Suspense perdido em águas rasas

O longa, inspirado no livro de Patricia Highsmith e escrito pelos roteiristas de Mais Estranho que a Ficção (Zach Helm) e da série Euphoria (Sam Levinson), tinha tudo para ser um suspense eletrizante como Atração Fatal, por exemplo, mas se dilui nos jogos pseudo-eróticos de Melinda e Vic. 

O que acontece ali é claramente um desalinho de expectativas: Vic queria uma vida calma no campo, criar a filha Trixie (Grace Jenkins) e cuidar de sua criação de caracóis. Já Melinda -com uma personalidade apagada e pouco desenvolvida, sem muitas camadas além da viciada em sexo- está claramente entediada com o casamento, o lugar, as pessoas e até com o fato de ser mãe. Quer viver a boa vida, quer paixão e intensidade, e para isso provoca o marido até o limite de sua sanidade para que ele a corresponda a contento.

No final, o que era para ser uma questão mais profunda como o título propõe, acaba ganhando um ar fútil de um problema que poderia ser resolvido de forma simples se ambos conversassem, fizessem terapia ou simplesmente se separassem. Este último item não parece ser uma opção viável, já que o personagem de Affleck se mostra obcecado pela mulher, o que também é um dos traços do diretor em muitos de seus filmes: um dos personagens sempre é meio fora da casinha no que tange a apego e carência.

Sexy sem ser vulgar?

As cenas de sexo são rápidas e pontuais, já as eróticas e sugestivas estão espalhadas pelo filme todo. A fotografia é um dos pontos altos do filme e também valem menção os simbolismos com água, remetendo ao título, que são significativos. 

Fora isso, Águas Profundas é bem raso no final das contas. Poderia ter sido um longa tenso tendo um dos assuntos mais populares dos últimos tempos, os relacionamentos abertos que tanto se tornam trending topics no Twitter com regularidade, como base para muitas outras discussões mais densas. Mas a trama acaba ficando na superfície e virando um soft porn com desfecho óbvio.

Vale a pena para assistir a maravilhosa Ana de Armas sendo absurdamente sexy e só. E digamos que ela merecia bem mais do que isso. 

Leva que tá MEIO doce – Tem uma dose de tensão que fica no ar ao longo de toda a projeção, sempre deixando aquela sensação de “ih, agora vai dar ruim”. Mas acaba não dando. 

Dois pelo Preço de Um – Impossível deixar de fazer uma dobradinha com Atração Fatal, clássico thriller de amor, ódio e sedução do mesmo cineasta. 

Presta atenção, freguesia – Na performance da menina Grace Jenkins como Trixie, a filha do casal. Simplesmente fenomenal. Vai longe.

Águas Profundas

Suspense
16
Direção
Adrian Lyne
Produção
20th Century Studios Amazon Studios
Onde assistir
Amazon Prime Video
Elenco
Ben Affleck
Ana de Armas
Tracy Letts
Grace Jenkins
Dash Mihok
Lil Rel Howery
Finn Wittrock
Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Gabriela Franco

Gabi Franco

Editora de filmes e séries na Tangerina, Gabi Franco é criadora do Minas Nerds, jornalista, cineasta, mãe de gente, pet e planta. Ex- HBO, MTV, Folha, Globo… É marvete, mas até tem amigos DCnautas.

Ver mais conteúdos de Gabi Franco

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal