FILMES E SÉRIES

365 Dias

Divulgação/Netflix

Crítica

Problemático, 365 Dias: Hoje tem mais sexo e sangue que 1º filme

Sangue, sexo, belos corpos e paisagens, mas, mais uma vez, nada de novo é apresentado

Yasmine Evaristo

Yasmine Evaristo

O longa 365 Dias: Hoje, que estreou na última sexta (27) na Netflix, continua problemático e mais parece um comercial de quase duas horas. A sequência de 365 Dias —filme polonês lançado na plataforma em 2020— segue a narrativa do filme anterior, mostrando o casal Massimo (Michele Morrone) e Laura (Anna-Maria Sieklucka) minutos antes de seu casamento, sem muitas explicações sobre o que aconteceu no túnel (aquele da primeira produção), exceto pela justificativa de que tudo se tratou de um acidente. 

Para quem não se lembra, no primeiro filme Laura é sequestrada pelo mafioso que futuramente se torna seu marido e vive, ao lado dele, uma história de amor. A produção foi duramente criticada por romantizar crimes como sequestro e estupro, além de justificar manipulação e abuso psicológico como “manifestações de amor”. 

Mas, voltando à sequência, embora o tal acidente seja o principal motivo para que a relação dos dois apresente certa instabilidade, não há muito o que ser falado sobre o assunto, apenas mostrar que a vida de Laura (Sieklucka) está em risco. Daí em diante não nos resta esperar muito de um filme que, desde sua apresentação, demonstra estar mais interessado em mostrar cenas de sexo coreografadas, tal qual uma versão um pouco mais ousada de Cinquenta Tons de Cinza. 

365 Dias

Otar Saralidze como Domenico

Divulgação/Netflix

O jardineiro fiel

Para furor dos fãs que amaram o primeiro longa, por conta da exibição incessante do belo corpo de Michele Morrone seminu, neste novo episódio outro deleite masculino é adicionado. O novo jardineiro (mais clichê é impossível) dos Torricelli, Nacho (Simone Sussina), estará em inúmeras cenas à beira mar, com seu corpo escultural sendo filmado de todos os ângulos possíveis, para deleite do público. Entretanto, não espere muito do personagem, pois ele está ali apenas para criar uma tensão entre o casal, bem como para ser mais um dos objetos de fetiche em cena. 

O que muda em 365 Dias Hoje:

Sejamos honestos: nada mudou. O romance entre o casal principal continua injustificável, uma romantização do abuso e da violência, praticamente uma Síndrome de Estocolmo, a quantidade de cenas de sexo em qualquer espaço da trama aumentou consideravelmente, pois temos um casal novo formado pelo braço-direito do protagonista, Domenico (Otar Saralidze), e pela melhor amiga de Laura (Anna-Maria), Olga (Magdalena Lamparska).

Além disso, existem algumas reviravoltas bem previsíveis que não estragam mas também não acrescentam nada de relevante ao filme. É essencialmente um soft-porn sem pé nem cabeça.

Fim de feira: 365 Dias Hoje parece mais uma longa publicidade de perfume, com sua trilha sonora intensa moldando paisagens paradisíacas e personagens que agem como se fossem modelos, sempre posando. Se o filme fosse dividido em capítulos de meia hora, lançados uma vez por semana, talvez não parecesse tão longo ou enfadonho.

Dois pelo preço de um: Para quem quer ver amor, sexo e fetiches sendo discutidos de maneira saudável e madura, sem a cafonice dos soft porns, a indicação ideal é Amor com Fetiche, dorama dirigido por Park Hyeon-Jin sobre um casal que incorpora em sua vida a dois a prática de BDSM. Um filme leve e divertido que não se preocupa em ser moralista e sim em retratar uma relação saudável construída em parceria, por meio de diálogos e tentativas de se divertir em momentos tão íntimos. O filme também está disponível na Netflix.

Presta atenção, freguesia: Se tem algo que se salva no filme, são as paisagens. As locações, como no anterior, são lindas, principalmente as litorâneas, gravadas em sua maioria na Itália. Além disso, a trilha é super animada e pode ser a próxima playlist de um rolê com amigos dispostos a se jogarem na pista.

365 Dias Hoje

Romance/Ação/Erótico
18
Direção
Barbara Bialowas
Produção
Tomasz Mandes Blanka Lipinska
Onde assistir
Netflix
Elenco
Anna-Maria Sieklucka
Michele Morrone
Magdalena Lamparska
Otar Saralidze
Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Yasmine Evaristo

Yasmine Evaristo

Yasmine Evaristo é crítica de cinema associada à Abraccine e pesquisa o gênero fantástico e representação e representatividade de pessoas negras no cinema. Devota da santíssima trindade Tarkovski-Kubrick-Lynch, também é artista visual, desenhista e cursa graduação em letras.

Ver mais conteúdos de Yasmine Evaristo

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal