FILMES E SÉRIES

Capa da matéria sobre o É Tudo Verdade 2022 com cena do filme Navalny

Foto: Divulgação / Arte: Tangerina

É Tudo Verdade 2022

10 docs do festival É Tudo Verdade 2022 pra ver sem sair de casa

Mesmo com o retorno às exibições presenciais no Rio e São Paulo, um dos principais festivais de documentários do mundo ainda segue com sessões online. E é tudo de graça

Rafael Argemon

Rafael Argemon

Após dois anos no formato online, o tradicional festival de documentários É Tudo Verdade retorna às salas de cinema de São Paulo e Rio de Janeiro a partir desta quinta-feira (31). Mas quem não está em nenhuma das capitais não tem motivos para não curtir a excelente programação da mostra, que ainda traz diversos filmes em sessões remotas.

Até o dia 10 de abril, o festival exibe 77 filmes de 34 países, entre longas, médias e curtas. Há títulos inéditos no Brasil, retrospectivas e clássicos. Presencialmente, o É Tudo Verdade acontece em duas salas no Rio (31/03 a 10/04) e quatro em São Paulo (1º a 10/04). Já no formato virtual, você pode conferir as sessões pela própria plataforma da mostra, além do Itaú Cultural Play e Sesc Digital. Todas as sessões, presenciais ou online, são gratuitas.

Além dos filmes, o festival também conta com debates, conferências, master class, entre outras atividades. Os filmes vencedores dos prêmios dos júris nas competições brasileiras e internacionais de longas, médias e curtas metragens serão automaticamente classificados para apreciação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood à disputa pelo Oscar 2023.

Destaques do É Tudo Verdade 2022

Com a guerra na Ucrânia em evidência, é claro que produções envolvendo histórias direta ou indiretamente relacionadas ao conflito, chamam a atenção. Uma delas é Navalny. Dirigido pelo cineasta canadense Daniel Roher, o documentário investiga o atentado sofrido por Alexei Navalny, principal opositor de Vladimir Putin na Rússia. Envenenado na Sibéria em 2020, ele se recuperou em Berlim, mas foi preso assim que retornou a seu país, em janeiro de 2021.

Cena do documentário Navalny

Investigação sobre atentado a Alexei Navalny, principal opositor de Putin, é o tema de doc de diretor canadense

Divulgação

Outro título imperdível é o clássico A História da Guerra Civil, de Dziga Vertov (1896 – 1954), um dos grandes pioneiros do cinema. Recuperado em 2021 pelo restaurador Nikolai Izvolov depois de ter sido considerado perdido, o documentário retrata a guerra civil que se instaurou na Rússia logo após a Revolução de 1917. A obra, dividida em 12 partes, detalha o conflito que durou de 1918 a 1920.

Ainda nessa pegada mais política, não perca JFK Revisitado: Através do Espelho, do americano Oliver Stone, que retoma as investigações sobre o assassinato do presidente John Kennedy 30 anos depois do longa JFK: A Pergunta que Não Quer Calar (1991). Filme estrelado por Kevin Costner que venceu duas estatuetas do Oscar em 1992, de melhor fotografia e edição. Neste documentário, o diretor volta a desafiar a versão oficial do crime.

Cena do documentário JFK Revisitado: Através do Espelho

Oliver Stone volta a desafiar a versão oficial sobre o assassinato do presidente John Kennedy, em 1963

Divulgação

Entre os clássicos, além de A História da Guerra Civil, fique ligado também em É Tudo Verdade e Chico Antônio – O Herói Com Caráter. O primeiro reconstitui a obra não finalizada por Orson Welles (de Cidadão Kane) em 1942 e suas investigações pela América do Sul. Entre as três histórias que o cineasta abordou, estava a da viagem de quatro jangadeiros, de Fortaleza ao Rio de Janeiro, protestando por melhores condições de trabalho. Porém, Jacaré, líder do grupo, morreu em um acidente durante a jornada no mar. 

Já Chico Antônio – O Herói Com Caráter, dirigido por Eduardo Escorel em 1983, é o resgate de um personagem real mencionado pelo escritor Mário de Andrade em seus trabalhos sobre a cultura popular brasileira entre 1938 e 1939, Chico Antônio, foi um catador de cocos do interior do Rio Grande do Norte.

Outras produções nacionais para ficar de olho são: Adeus, Capitão, de Vincent Carelli e Tita, sobre a vida e o legado de “Capitão” Krohokrenhum, líder do povo indígena Parkatejê, originário de Gavião (PA), morto em 2016; a biografia do cantor e compositor Belchior, intitulada Apenas um Coração Selvagem, de Camilo Cavalcanti e Natália Dias; Pele, doc sobre grafite de Marcos Pimentel, e Quando Falta o Ar, uma crônica sobre a pandemia de Ana e Helena Petta.

Cena do documentário Apenas um Coração Selvagem

A vida e obra do cantor e compositor Belchior é o tema do documentário Apenas um Coração Selvagem

A abertura e encerramento do É Tudo Verdade também traz três filmes imperdíveis: A História do Olhar e A História do Cinema: Uma Nova Geração, ambos dirigidos pelo britânico Mark Cousins; e O Território (The Territory), do norte-americano Alex Pritz.

Os documentários de Cousins abrem o festival. Em A História do Olhar, ele explora o papel da experiência visual em nossas vidas enquanto espera por uma cirurgia oftalmológica. Já em A História do Cinema: Uma Nova Geração, o cineasta reflete em como a tecnologia está mudando o curso do cinema no novo século.

Coprodução entre Brasil, Dinamarca e Estados Unidos, O Território –premiado no Festival de Sundance de 2022– encerra a mostra, O filme acompanha um jovem líder indígena brasileiro que luta contra fazendeiros que ocupam uma área protegida da Floresta Amazônica.

Conheça a programação completa do É Tudo Verdade e os locais de exibição presencial no site do festival.

Para assistir aos filmes nas plataformas, siga as instruções:

É Tudo Verdade Play

Itaú Cultural Play

Sesc Digital

Os filmes ficam disponíveis até o limite de 24 horas e há um número máximo de pessoas para assistir às sessões. 

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Rafael Argemon

Rafael Argemon

Rafael Argemon é criador do perfil O Cara da Locadora no Instagram e também assina uma coluna com o mesmo nome na Tangerina, onde indica as pérolas escondidas nas plataformas de streaming. Cinéfilo e maratonador de séries profissional, passou por Estadão, R7, UOL, Time Out e Huffpost. Apaixonado por pugs, sagu e jogos do Mario.

Ver mais conteúdos de Rafael Argemon

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal