FILMES E SÉRIES

Harvey Weinstein

Reprodução/YouTube

CONDENAÇÃO MANTIDA

Condenado por estupro, Harvey Weinstein perde apelação nos EUA

Ex-todo poderoso de Hollywood cumpre pena em Nova York

André Zuliani

Preso e condenado por estupro, o ex-magnata de Hollywood Harvey Weinstein perdeu a apelação contra a sentença de 23 anos de prisão registrada nos Estados Unidos. O resultado foi anunciado nesta quinta-feira (2), após a revisão do caso feita por uma corte de Nova York.

Em decisão unânime, cinco juízes do painel de apelação da Suprema Corte de Nova York recusaram o pedido de Weinstein para revogar sua sentença. O ex-produtor alegava que a decisão do júri havia sido tomada com base em evidências mentirosas e injustas.

“Rejeitamos os argumentos do réu e afirmamos a condenação em todos os aspectos”, aponta a ordem oficial de 45 páginas divulgada pelo painel de juízes.

Weinstein foi condenado em fevereiro de 2020 por duas das cinco acusações de cometer ato sexual criminoso em primeiro e terceiro grau. No recurso, os advogados do ex-produtor argumentaram que o juiz da Suprema Corte James Burke, que supervisionou o julgamento original, havia cometido vários erros processuais e emitido outras decisões que favoreceram injustamente a promotoria.

Em outras contestações, a equipe jurídica de Weinstein alegou no recurso que ele tinha sido privado de seu direito constitucional de se posicionar em defesa própria porque os promotores da acusação haviam sido autorizados a interrogá-lo por 28 incidentes ao longo de quase 30 anos, com o objetivo de minar a sua credibilidade.

Os casos estavam relacionados ao suposto envolvimento de Weinstein em vários atos de má conduta relacionados aos seus negócios enquanto produtor de Hollywood, como encorajar executivos a mentir em seu nome, além de ameaças e atos de violência contra atrizes e ex-funcionários.

Os juízes entenderam que todo o material analisado por Burke era “inquestionavelmente relevante”. Na decisão que sustentou a sentença, eles afirmaram que as alegações contra Weinstein refletiam uma “disposição em colocar seu interesse próprio acima dos interesses de outra pessoa”.

Juda Engelmayer, representante de Weinstein, demonstrou insatisfação com o resultado do recurso, mas afirmou que isto já era esperado. “Estamos desapontados, mas não surpresos. Vamos rever todas as nossas opções e buscaremos outros recursos”, afirmou Juda em contato com a imprensa.

Relembre o caso

Conhecido como o “todo-poderoso de Hollywood”, Harvey Weinstein foi condenado à prisão por praticar sexo oral forçado na ex-assistente de produção Mimi Haleyi, em julho de 2006; ele também foi declarado culpado por estupro em terceiro grau da ex-atriz Jessica Mann, cometido em março de 2013.

Produtor de filmes como Pulp Fiction (1994) e Shakespeare Apaixonado (1999), Weinstein foi alvo do movimento contra assédio e agressão sexual intitulado Me Too, que mobilizou várias celebridades de Hollywood. Atualmente, ele cumpre pena em uma prisão de segurança máxima em Nova York.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ

André Zuliani

Repórter de séries e filmes. Viciado em cultura pop, acompanha o mundo do entretenimento desde 2013. Tem pós-graduação em Jornalismo Digital pela ESPM e foi redator do Omelete.

Ver mais conteúdos de André Zuliani

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal