FILMES E SÉRIES

Últimos momentos de Marilyn Monroe são ilustrados em novo documentário

Divulgação/Netflix

Crítica

Abuso, solidão e estrelato: Os últimos suspiros de Marilyn Monroe

Gravações relatam a vida de dor e glória da estrela do cinema clássico; a produção chegou ao streaming na última quarta (27)

Yasmine Evaristo

Yasmine Evaristo

Há todo um fascínio pela vida de pessoas famosas. Se tal pessoa morre em circunstâncias suspeitas, tal fascínio tende a ser ainda maior. Dessa maneira, o documentário O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas é a mais nova produção sobre a estrela de Hollywood, revisitando sua vida e lançando luz sobre o que poderia ter motivado a sua morte. 

Logo no início do filme o jornalista Anthony Summer relata que decidiu descobrir a verdade sobre a trajetória de Marilyn, em 1982, quando a investigação sobre a morte dela foi reaberta. O trabalho que deveria durar em torno de 2 semanas se transformou em 3 anos de pesquisa e entrevistas. Diante da dificuldade de obter informações, o repórter decide recomeçar do zero e traçar uma linha do tempo investigativa desde os anos 1940 até a morte da atriz, em 1962.

Tal pesquisa tem como fruto inúmeros relatos de pessoas que conviveram com Monroe e mostram como o sucesso da atriz não cura as feridas de uma vida difícil. 

Ainda há segredos a serem revelados?

Nos anos 1940, a  jovem Norma Jean frequentava os locais da moda, em  Los Angeles, em busca de visibilidade. Após alguns anos de contatos com a elite hollywoodiana, a morena, descrita pelas pessoas como generosa e agradável, começaria então a despontar e ficar mais próxima da persona conhecida mundialmente, a loira sensual e pueril de nome Marilyn. 

Entre vários entrevistados, uma das principais, Gladys Baker, destaca a vida de infortúnios da estrela, fosse por seus anos passando de orfanatos em orfanatos, ou por sua tristeza constante, fruto das dificuldades e abusos sofridos ao longo da vida. 

As cicatrizes dos sofrimentos vividos por Marilyn são uma constante nos depoimentos ouvidos. Ainda mais por parecer que nas últimas semanas de vida a instabilidade emocional dela estava cada vez maior.

O que fica claro após ouvir todos os relatos e percorrer o caminho da vida e morte da atriz e de que o mistério de Marilyn era a difícil relação que a musa tinha consigo.  

Segredos não revelados

A verdade sobre a morte de Marilyn Monroe parece ter evaporado no segundo em que a diva deu seu último suspiro. Por mais que tentem, nem Anthony, nem Emma Cooper, diretora da produção, chegam a alguma conclusão, sequer se aproximam de alguma resposta plausível da causa de seu óbito. 

Apesar de assistirmos a uma produção que esmiúça a vida da Era de Ouro de Hollywood, levantando muitas informações sobre as relações entre artistas e produtores, relatando os assédios sofridos pelas mulheres que buscavam o estrelato, bem como o adoecimento mental de quem mergulhava nesse estilo de vida.  

Infelizmente, o título da produção se propõe a mostrar certo ineditismo, mas na verdade apenas elucubra um pouco mais o que já sabemos, ou já ouvimos sobre todas as dúvidas em torno do que teria levado a diva à morte. 

Entretanto, O Mistério de Marilyn não se pauta em teorias conspiratórias como a suspeita de que a atriz foi assassinada por ter um caso com um dos Kennedy. Por outro lado, não deixem um título mal escolhido os enganar, pois, o trabalho de Summer e Cooper está mais preocupado em reconstruir os últimos dias de vida da atriz, humanizando a mulher de vida glamourosa que não deixou de ser frágil, ou de se sentir solitária mesmo com todo o poder que adquiriu. 

Em suma, uma cinebiografia que está além do que duas descrições dizem. Indicado tanto para fãs do ícone cinematográfico, quanto para aqueles que querem começar a conhecer a história da atriz e dos bastidores do cinema estadunidense. 

Leva que tá doce: 

Sempre é um deleite poder ver em cena uma musa tão carismática como Marilyn Monroe. Conseguir descolar de sua imagem de estrela a ideia de que ela era uma mulher tola é o grande valor desse documentário. Cada segundo assistido, entendendo as várias nuances da personalidade da diva é impagável.   

Dois pelo preço de um:

Há 11 anos, era lançado no cinema uma cinebiografia, mesclada com ficção, sobre fatos que aconteceram e podem ter acontecido durante uma semana de gravações. Sete Dias com Marilyn se passa nos bastidores de O Príncipe Encantado. A atriz é interpretada por Michelle Williams. O filme está disponível no Prime Video.

Presta atenção, freguesia:

O olhar sensível tanto da produção quanto daqueles que conviveram com a musa dão um tom melancólico e, ao mesmo tempo, respeitoso à memória de Monroe, tirando-a de um altar de ser intocável e irreal e trazendo-a à realidade. 

Foto da capa do filme de Marylin Monre

O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas

Documentário
14
Direção
Emma Cooper
Produção
Netflix
Onde assistir
Netflix
Elenco
Marilyn Monroe, Lauren Bacal, Gladys Baker e Joe DiMaggio
Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Yasmine Evaristo

Yasmine Evaristo

Yasmine Evaristo é crítica de cinema associada à Abraccine e pesquisa o gênero fantástico e representação e representatividade de pessoas negras no cinema. Devota da santíssima trindade Tarkovski-Kubrick-Lynch, também é artista visual, desenhista e cursa graduação em letras.

Ver mais conteúdos de Yasmine Evaristo

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal