MÚSICA

Vangelis, compositor grego vencedor do Oscar, morreu aos 79 anos

Reprodução/Facebook oficial

Vencedor do Oscar

Conheça as trilhas sonoras memoráveis de Vangelis, morto nesta semana

Compositor grego venceu o Oscar por Carruagens de Fogo e é considerado um pioneiro da música eletrônica

Luccas Oliveira

Luccas Oliveira

A morte do compositor Vangelis, confirmada nesta quinta-feira (19), deixou o mundo do cinema em luto. O grego Evángelos Odysséas Papathanassíou morreu aos 79 anos, na França, na última terça (17), de causa ainda não revelada. E sua obra musical foi tão pomposa quanto o nome de batismo.

Autodidata, Vangelis foi vencedor do Oscar pela trilha sonora épica de Carruagens de Fogo (1981), compôs para mais de 80 obras audiovisuais e é considerado um dos pioneiros da música eletrônica.

No Twitter, o primeiro-ministro da Grécia, Kyriakos Mitsotakis, celebrou Vangelis como “o protagonista do som eletrônico, dos Oscars, da mitologia e dos grandes sucessos”.

Caso você não esteja associando o nome à obra, a Tangerina espreme essa para você.

Cinco trilhas históricas de Vangelis

Blade Runner : O Caçador de Androides (1982)

É considerada, até hoje, a maior trilha sonora da história do cinema de ficção científica. E teve uma popularidade quase inédita na época do lançamento, quando em abril de 1982 liderou a parada de álbuns da Billboard. No mês seguinte, foi a vez de o tema de abertura do filme dirigido por Ridley Scott, Titles, chegar ao topo do ranking de singles norte-americano.

Para além dos marcos, isso significa que a trilha não foi só um condutor do filme e conquistou uma reputação própria enquanto obra de arte.

Vangelis compôs, arranjou, tocou e produziu cada parte da trilha sonora de Blade Runner. Hoje um instrumento quase fundamental da música pop, o sintetizador ainda era novidade naquele começo de década de 1980, e é ele que protagoniza as canções que o compositor criou para o filme.

Somada a inovação com uma visão orquestral apurada de Vangelis, a trilha de Blade Runner surpreende até hoje por levar o ouvinte a uma viagem única entre passado e futuro.

Carruagens de Fogo (1981)

Caso você já tenha assistido a uma transmissão televisava de corridas, sabe do que estamos falando. Além de vencer o Oscar, a trilha de Carruagens de Fogo se tornou ícone esportivo —no Brasil, a canção tema era muito usada na São Silvestre.

A trama aborda dois corredores que tentam se classificar para os Jogos Olímpicos de Paris, em 1924. Por isso, a associação com momentos de glória esportiva. E não só: a música foi a escolhida por Steve Jobs para apresentar o primeiro Macintosh, em 1984.

Elementos da trilha de Carruagens de Fogo, inclusive, passaram a ser parte da assinatura de Vangelis, que voltaria, por exemplo, em Blade Runner. Nela, está o uso combinado de música orquestral, sons de sintetizadores eletrônicos, jazz e ambient music.

Alexandre (2004)

No longa de Oliver Stone, Colin Farrell, Angelina Jolie, Anthony Hopkins e grande elenco foram embalados por mais uma trilha épica de Vangelis.

O filme conta a história de Alexandre, O Grande, e Vangelis tentou simular como seria viver no período e na região retratados, enquanto fazia músicas para 2004. Mais uma vez, o instrumento principal foi o sintetizador.

1492: A Conquista do Paraíso (1992)

Ridley Scott e Vangelis voltaram a trabalhar juntos em mais um épico. Desta vez, o filme narrava a viagem de Cristóvão Colombo para a América, e tinha no elenco Gerárd Depardieu e Sigourney Weaver.

A trilha sonora foi indicada ao Globo de Ouro daquela temporada. Desta vez, Vangelis foi além da fórmula tradicional com orquestra e sintetizador. Para as canções, escalou músicos tradicionais de flamenco, violinos, flautas, guitarra portuguesa e coros. Além disso, o compositor também fez consultas sobre música folclórica com especialistas para fazer jus aos sons que levou às salas de cinema.

Desaparecido: Um Grande Mistério (1982)

Como o leitor deve ter notado, o começo da década de 1980 foi especialmente prolífico para Vangelis. Além de Blade Runner e Carruagens de Fogo, o compositor ainda entregou a trilha deste filme do compatriota Costa-Gavras, vencedor do Oscar de roteiro adaptado.

O trabalho de Vangelis foi reconhecido com uma indicação ao BAFTA, espécie de Oscar britânico. Para além disso, a peça de piano que o grego escreveu foi usada exaustivamente em comerciais televisivos. Curiosamente, no entanto, a trilha nunca foi lançada oficialmente.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Luccas Oliveira

Luccas Oliveira

Luccas Oliveira é editor de música na Tangerina e assina a coluna Na Grade, um guia sobre os principais shows e festivais que acontecem pelo país. Ex-jornal O Globo, fuçador do rock ao sertanejo e pai de gatos, trocou o Rio por São Paulo para curtir o fervo da noite paulistana.

Ver mais conteúdos de Luccas Oliveira

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal