FILMES E SÉRIES

Cena do filme Projeto Adam

Divulgação

Crítica

Projeto Adam é como ganhar um pijama de aniversário

Produção da Netflix estrelada por Ryan Reynolds é um pastiche genérico de aventuras infanto-juvenis dos anos 1980 que parece ter sido escrito por um algoritmo

Rafael Argemon

Rafael Argemon

Assim como acontece em qualquer grande estúdio de Hollywood, a Netflix não tem nenhuma vergonha de apostar todas as suas fichas em time que está ganhando. Se por um lado escolhe a dedo um restrito grupo de cineastas a quem dá total liberdade atrás da credibilidade em festivais e premiações, por outro joga com análises de números e mercado para fabricar filmes como se estivesse apertando parafusos. É assim que nascem coisas como Projeto Adam, que estreia na Netflix nesta sexta-feira (11).

A receita é simples: Número 1: Escolha uma estrela carismática que agrade a todos os públicos. Número 2: Pegue uma fórmula que agrade a diversas faixas etárias. Número 3: Apele para a nostalgia. Agora é só deixar o algoritmo “escrever” o roteiro baseado nos dados de seus usuários e voilà: Temos um novo lançamento da Netflix.

No caso de Projeto Adam, a estrela escolhida foi Ryan Reynolds. A fórmula? Filmes de ficção científica com bastante aventura à la década de 1980, tipo a trilogia De Volta Para o Futuro, E.T.: O Extraterrestre (1982) e títulos menos manjados atualmente, como O Último Guerreiro das Estrelas (1984) e O Voo do Navegador (1986). A nostalgia? Além dos filmes já citados, bote aí uma pitada de referência millennial ao reunir Mark Ruffalo e Jennifer Garner como um casal e todo mundo vai comentar como eles eram fofos em De Repente 30 (2004).

Cena do filme Projeto Adam

Trailer do filme Projeto Adam (2022)

Walker Scobell e Ryan Reynolds são duas versões temporais do piloto Adam

Projeto Adam não tem coração

O fato é que não importa se são clássicos como E.T. ou aventuras bobinhas e perdidas no tempo como O Último Guerreiro das Estrelas, esses filmes tinham alma. Histórias que atingem o espectador –seja ele criança, adolescente ou adulto– direto no coração. Algo que, infelizmente, falta a Projeto Adam. Ele é um amontoado de ideias passadas onde tudo lembra algo que a gente gosta muito mas que, estranhamente, não traz consigo apelo emocional algum.

Reynolds é carismático e o primeiro terço do filme, em que ele interage com seu “eu” pré-adolescente, é a parte em que essa fórmula “Frankenstein” mais funciona. Mas aí começam as sequências de ação genéricas com hits roqueiros dos anos 1970 pra dar aquele molho Guardiões da Galáxia e o filme se transforma numa gororoba sem sabor. Tipo comida de astronauta. Pode até nos alimentar, mas não dá o menor prazer.

Os papéis de Ruffalo e Garner são quase participações especiais que parecem ter sido pensadas para virar post no Instagram. Zoe Saldana então… coitada. Está lá só para explicar o estado emocional do personagem de Reynolds. Parece que foi escalada para ser apenas mais uma referência a Guardiões da Galáxia.

Só para se manter no tema “anos 1980”, Projeto Adam é como um presente que vem numa caixa bem legal, mas que quando você abre, vê que dentro tem um par de meias ou um pijama. Não aquele brinquedo que você tanto sonhava ganhar de aniversário.

Dois pelo preço de um: Destino Especial (2016) é uma ficção científica/aventura que conseguiu captar bem melhor o espírito dos anos 1980 do que Projeto Adam.

Presta atenção, freguesia:  Na seleção de músicas, todos hits roqueiros dos anos 1960 e 70. Não é lá muito original, mas tem ótimas canções de Led Zeppelin, Pete Townsend (guitarrista do The Who), Boston e The Spencer Davis Group.

Pôster do filme Projeto Adam

Projeto Adam

Ficção científica / aventura / ação
12
Direção
Shawn Levy
Produção
Netflix
Onde assistir
Netflix
Elenco
Ryan Reynolds
Walker Scobell
Mark Ruffalo
Jennifer Garner
Zoe Saldana
Catherine Keener
Alex Mallari Jr.
Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Rafael Argemon

Rafael Argemon

Rafael Argemon é criador do perfil O Cara da Locadora no Instagram e também assina uma coluna com o mesmo nome na Tangerina, onde indica as pérolas escondidas nas plataformas de streaming. Cinéfilo e maratonador de séries profissional, passou por Estadão, R7, UOL, Time Out e Huffpost. Apaixonado por pugs, sagu e jogos do Mario.

Ver mais conteúdos de Rafael Argemon

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal