Oz: 'Primo pobre' de Sopranos levou sangue e pênis ao SBT - Tangerina

FILMES E SÉRIES

J. K. Simmons em cena de Oz

Divulgação/HBO

HÁ 25 ANOS

‘Primo rejeitado’ de Sopranos, Oz levou sangue e pênis para o SBT

Há exatos 25 anos, estreava a série Oz, um retrato brutal da vida na prisão. Entre nus frontais e muito sangue, a atração transformou a HBO

Luciano Guaraldo

No início dos anos 2000, a HBO se tornou a casa das melhores séries da TV norte-americana. Estavam ali Família Soprano (1999-2007), A Sete Palmos (2001-2005), The Wire (2002-2008) e Deadwood (2004-2006), entre outras. Mas essas atrações devem muito a Oz (1997-2003), drama que desafiou os limites do que poderia ser mostrado na TV. Há exatos 25 anos, em 12 de julho de 1997, a produção criada por Tom Fontana entrava no ar com um retrato brutal (mas extremamente fiel) da vida na prisão, com direito a muito sangue, violência, conspirações e nus frontais –inclusive na versão exibida pelo SBT nas madrugadas.

Apesar de não levar os mesmos créditos de suas “irmãs mais famosas”, Oz foi essencial para o bordão “não é TV, é HBO” se tornar realidade. Na época do lançamento da série prisional, o canal premium não exibia um drama original há mais de uma década, desde o encerramento de Philip Marlowe (1983-1986). Os executivos preferiam focar em comédias como Sonhando Acordado (1990-1996) e The Larry Sanders Show (1992-1998).

Tom Fontana, que tinha no currículo roteiros da série médica St. Elsewhere (1982-1988) e da policial Homicídio (1993-1999), procurou a HBO com a proposta de uma produção diferente de tudo o que era exibido na TV na época. Oz mostrava a vida na Penitenciária Estadual de Oswald, pelo olhar dos presos, dos carcereiros e dos administradores. Em comum, o fato de que todos preferiam estar em qualquer outro lugar que não ali. E também que eram capazes de tudo para sobreviver.

Rita Moreno e Christopher Meloni em Oz

Rita Moreno e Christopher Meloni em Oz

Divulgação/HBO

Em vez de cada episódio contar uma história diferente, as tramas eram interligadas e, muitas vezes, a conclusão de um arco narrativo só acontecia anos depois de sua introdução. Havia dezenas de personagens, e era impossível saber quem sobreviveria até o próximo episódio –afinal, a qualquer momento um deles poderia ser assassinado na sua cela, na academia ou no chuveiro com um corte na jugular.

Os banhos, aliás, eram momentos fundamentais para a trama de Oz. Personagens frequentemente apareciam pelados enquanto discutiam seus planos com os colegas –em um raro momento de privacidade. E, ao contrário de séries como Euphoria ou Minx, a nudez não cabia a figurantes ou a personagens pouco expressivos.

Sem medo do nu frontal, atores como Christopher Meloni (de Law & Order), Harold Perrineau (de Lost), Kirk Acevedo (de Fringe) e Dean Winters (de 30 Rock) exibiram seus corpos em contextos nada sensuais. Até Luke Perry (1966-2019), assolado pela imagem de galã de Barrados no Baile (1990-2000), se despiu pelos corredores de Oz.

Apesar de bastante elogiada por críticos e pelo público, Oz nunca conseguiu o sucesso de outras séries da HBO no circuito de premiações. Recebeu apenas duas indicações ao Emmy, a melhor ator convidado (Charles S. Dutton) e melhor escalação de elenco. Não venceu nenhuma das duas. Mas, sem dúvida, abriu as portas para as atrações já citadas e para tantas outras. Até Game of Thrones (2011-2019), por incrível que pareça, deve sua existência para aquela abordagem brutal de uma vida na prisão.

Informar Erro
Falar com a equipe

Tags

QUEM FEZ

Luciano Guaraldo

Editor-chefe da Tangerina. Antes, foi editor do Notícias da TV, onde atuou durante cinco anos. Também passou por Diário de São Paulo e Rede BOM DIA de jornais.

Ver mais conteúdos de Luciano Guaraldo

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal