LIVROS E HQS

Batman: O Cavaleiro das Trevas: o Batman definitivo de Frank Miller

Divulgação/Panini Brasil

Batman

Santos quadrinhos, Batman! 15 HQs para começar a ler o Homem-Morcego

Existem milhares de HQs do Batman, nós sabemos... Mas, nada tema!  Se você quer mergulhar no sombrio mundo de Gotham City, aqui vai uma lista fresquinha pra mergulhar no batverso!

Taynah Ibanez

Taynah Ibanez

Batman é, sem dúvidas, um dos super-heróis mais famosos da história dos quadrinhos. Já rendeu vários produtos e adaptações em muitas mídias, ganha um novo filme (o décimo!) nesta quinta (3) e tem fãs no mundo todo. E, claro, essas obras beberam muito em HQs. O filme dirigido por Matt Reeves e Robert Pattinson, por exemplo, inspira-se em alguns dos melhores quadrinhos do Batman, como Batman Ano Um, O Cavaleiro das Trevas, A Corte das Corujas e O Longo Dia das Bruxas.

Se você não tem lá o hábito de ler quadrinhos, pegar logo os de um super-herói com mais de 80 anos de publicações pode parecer uma missão impossível. Mas não se desespere, porque a Tangerina está aqui pra te dar o caminho das pedras e te indicar os melhores quadrinhos do Batman pra começar a ler. De bônus, você ainda vai pegar várias referências quando assistir ao novo filme. Depois, o céu é o limite e você pode continuar sua batjornada por conta própria.

Esboços da invenções de Leonardo da Vinci inspiraram Bob Kane a criar a capa do Batman

Esboços de invenções de Leonardo da Vinci inspiraram Bob Kane a criar a capa do Batman.

Divulgação/Warner

Na carona de Superman

Muita gente não sabe, mas Batman foi criado “por encomenda” pegando carona no molde do sucesso de Superman, lá em 1939. O Cavaleiro das Trevas foi criado por Bob Kane e Bill Finger, após uma extensa pesquisa mercadológica e de referências que teve como inspirações personagens como Zorro, o Sombra, Mandrake, Fantasma, Doc Savage, Sherlock Holmes e até esboços de Leonardo da Vinci. 

Os primeiros quadrinhos eram impressos em materiais extremamente baratos e vendidos por centavos, o que facilitou sua popularização. A produção precisava ser barata devido à grave crise financeira que ficou conhecida como a Grande Depressão, em 1929. Como os quadrinhos eram uma forma acessível de entretenimento, Batman foi um investimento de sucesso, tanto que continua até hoje como um dos carros-chefes da DC Comics. 

Confira a seguir uma lista fresquinha de 15 títulos, em ordem cronológica, pra você adentrar o batverso.

1 – Batman: Ano 1 (1987)

Batman Ano Um

Reinterpretação da origem do Batman.

Divulgação/Panini

Escrito por Frank Miller e ilustrado por David Mazzucchelli, este quadrinho é um divisor de águas e tornou as histórias do Homem-Morcego mais sombrias. O arco narra as origens e motivações de Batman, assim como o início de sua jornada como vigilante de Gotham. 

Disponível pela Panini

2 – O Homem que Ri (2005)

releitura da primeira aparição do Coringa em Batman #1 (1940)

Releitura da primeira aparição do Coringa em Batman #1.

Divulgação/Warner

Concebida por Ed Brubaker e Doung Mahnke, é uma sequencia direta de Batman: Ano Um, sendo uma releitura da primeira aparição do Coringa em Batman #1 (1940). A obra introduz como o palhaço do crime chegou à Gotham, tornando-se um dos mais perigosos vilões da cidade.

Disponível pela Eaglemoss

3 – Batman Noir: O Longo dia das Bruxas (1996-1997)

O longo dia das bruxas

Gênese do vilão Duas-Caras.

Divulgação/Panini

De autoria de Jeph Loeb e Tim Sale, esta obra mostra uma série de assassinatos ocorridos em datas festivas e sempre relacionados ao submundo dos gângsteres de Gotham City, trazendo de volta personagens como Carmine Falcone (o Romano), Harvey Dent, James Gordon, Mulher-Gato e muitos outros. Explora especialmente a origem do vilão Duas-Caras, tornando-se a versão mais referenciada e aceita em obras posteriores.

Disponível pela Panini

4 – Batman: Vitória Sombria (1999)

A origem do Robin de Dick Grayson

A origem do Robin de Dick Grayson.

Divulgação/Panini

Também por Jeph Loeb e Tim Sale, é uma sequência direta de O Longo Dia das Bruxas. A obra introduz vários vilões clássicos da franquia Batman e conta a origem do primeiro Robin, Dick Grayson. Além disso, mostra o vilão Duas-Caras em ação.

Disponível pela Panini

5 – A Piada Mortal (1988)

Um dos maiores clássicos da franquia.

Um dos maiores clássicos da franquia.

Divulgação/Warner

Considerado um dos principais títulos do herói, foi escrito por Alan Moore e ilustrado por Brian Bolland. Ora aceita pela DC Comics como cânone, ora não, (assim como acontece com outro clássico, O Cavaleiro das Trevas), A Piada Mortal é um dos maiores clássicos da franquia, e uma das obras mais referenciadas do universo Batman. A história narra as origens do Coringa, seu processo de loucura, e a busca incessante por provar a Batman que, para enlouquecer, basta apenas um dia ruim. Abusa da violência contra a mulher como recurso narrativo, mas o próprio autor já se pronunciou sobre e reconheceu o erro. Apesar disso, continua a ser magistral.

Disponível pela Panini

6 – Batman: Morte em Família (1988-1989)

A história inspirou a 3ª termporada da série Titãs que está na Netflix

A história inspirou a 3ª termporada da série Titãs que está na Netflix.

Divulgação/Warner

De autoria de Jim Starlin e Jim Aparo, a obra contém um dos mais famosos eventos da continuidade Batman: o assassinato de Jason Todd, o segundo Robin, pela mãos do Coringa. Apesar da narrativa extremamente islamofóbica, devido às tensões políticas entre Estados Unidos e Irã na época, é uma leitura essencial para um leitor iniciante. Traumatizou gerações. A história inspirou a terceira temporada da série Titãs, que está na Netflix.

Disponível pela Panini

7 – Robin Vol 1: Reborn (2015)

Robin Reborn

HQ foca especialmente em Tim Drake, o 3º Robin.

Divulgação/Warner

Criado por Chuck Dickson e Rom Lyle, o quadrinho é focado em Tim Drake, o terceiro Robin, que assume o manto após a morte de Jason Todd e descobre sozinho a identidade secreta de Batman. Saiu em mixes de revistas mensais nos anos de 2017 e 2018 pela Editora Abril, mas, mesmo assim, não na íntegra. Disponível apenas em inglês.

Disponível pela Amazon

8 – Batman: Sob o Capuz (2005-2006)

Batman Sob o Capuz

A vingança de Jason Todd.

Divulgação/Panini

Judd Winick e Doug Mahnke colocam Batman para enfrentar um novo vigilante. O Capuz Vermelho, que na verdade é Jason Todd ressuscitado e rancoroso por não ter tido sua morte vingada pelo Batman, adota o modus operandi nada ortodoxo do Coringa. A história inspirou a terceira temporada da série Titãs, que está na Netflix.

Disponível pela Panini

9 – Batman e Filho (2006)

Batman e filho

Quem diria, Batman é papai.

Divulgação/Panini

De autoria de Grant Morrison e Andy Kubert, a história narra a descoberta de Damian Wayne, filho de Batman com a filha do líder da Liga das Sombras, Talia Al Ghul. Damian se aproxima do pai, tornando-se então o quarto Robin. Mas a relação entre eles não é nada harmoniosa.

Disponível pela Panini

10 – Batman: A Queda do Morcego – Volumes 1, 2 e 3 (1993)

A Queda do Morcego

Um longo caminho ao fundo da batcaverna.

Divulgação/Panini

A história foi criada por Alan Grant, Chuck Dixon, Doug Moench, Graham Nolan, Jim Balent, e Mike Manley. Batman sofre um golpe grave do vilão Bane, o que o impossibilita de continuar atuando como vigilante e o deixa à beira de um colapso nervoso. Ao mesmo tempo, há uma fuga no Asilo Arkham, com vilões que aproveitam a aposentadoria de Batman para tomar a cidade. Sendo assim, Wayne entrega o manto para Jim-Paul-Valley, que adota o nome de Azrael, mas se revela um Batman extremamente violento. A história de uma amarga derrota.

Disponível na Comix: Volumes 1, 2 e 3

11 – Batman: Ano Zero (2017)

Batman Ano Zero

Outra repaginada, comum nas HQs.

Divulgação/Panini

A partir de 2013, a DC reiniciou sua continuidade, mudando a origem e histórias dos heróis. Essa fase foi chamada de Os Novos 52. Esta é uma nova origem para 0 Batman, escrita por Scott Snyder e James Tynion IV.

Disponível pela SaberComics

12 – Batman: A Corte das Corujas (2012)

A Corte das Corujas

Uma bela reunião de vilões.

Divulgação/Warner

De autoria de Scott Snyder e Greg Capullo, a história é a abertura de Batman em Os Novos 52. O Homem Morcego conhece a lenda sobre uma organização que usa uma coruja como cartão de visita, e supostamente controla a máfia de Gotham. A lenda se revela real, e uma das maiores ameaças que Batman já enfrentou.

Disponível pela Panini

13 – Batman: A Noite das Corujas (2013)

A noite das corujas

A guerra ao crime está longe de acabar.

Divulgação/Warner

Continuação direta de A Corte das Corujas, Batman consegue escapar das garras da organização vitorioso, mas a guerra está longe acabar. Agora Gotham é o maior alvo, e, esgotado física e emocionalmente, o desafio para herói é ainda maior.

Disponível pela Panini

14 – Batman: A Morte da Família (2013)

Morte da Família

Coringa mais insano do que nunca.

Divulgação/Warner

Scott Snyder criou esta história em que o Coringa é capturado e mandado ao Asilo Arkham por Batman. O que o herói não sabe é que isso era parte do plano de seu arqui-inimigo, que procura o vilão Homem-Boneca para remover cirurgicamente seu rosto. Após um ano desaparecido, o Coringa retorna mais insano do que nunca.

Disponível pela Panini

15 – Batman: Eu Sou Gotham (2017)

Eu sou Gotham

Ótima fase escrita por Tom King.

Divulgação/Panini

A obra é uma abertura do Renascimento de Batman, nas mãos do roteirista Tom King, que fez um trabalho notável com o Morcego. Uma introdução aos elementos adotados nesta nova fase. Uma boa introdução para novos leitores.

Disponível pela Panini

Hors Concours

Batman – O Cavaleiro das Trevas (1986)

O Cavaleiro das Trevas

Existe o Batman antes e depois de O Cavaleiro das Trevas.

Bem, O Cavaleiro das Trevas, também escrito por Frank Miller, não poderia faltar nesta lista. A obra que, em tese, não faz parte do cânone oficial das histórias do herói por ser fechada (mas que a editora já explorou em outros volumes e continuações) é um clássico que mudou não só a história do personagem, mas a forma de se fazer quadrinhos.

A história se passa em um futuro distópico (para a época) e Miller rompe vários tabus para apresentar um Batman mais velho, muito mais violento. O Homem-Morcego conta com uma mulher no papel de Robin e enfrenta o Superman. O autor criou um Batman muito mais amargurado e cansado, que rompe com valores basilares que o tornaram herói, o que o transforma em um personagem muito mais verossímil, adulto e complexo.

Não existe nenhuma produção atual sobre o Batman que não tenha sido influenciada pelo O Cavaleiro das Trevas. Existe o Batman antes e depois de O Cavaleiro das Trevas. Leitura obrigatória se você quiser minimamente compreender a alma taciturna de nosso justiceiro de Gotham.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Taynah Ibanez

Taynah Ibanez

Taynah Ibanez é time DC e Batfangirl sem nenhuma vergonha na cara e estudou a Arlequina no mestrado. Agora, no doutorado, pesquisa os quadrinhos da DC Comics. Nas horas vagas, também é maratonista de animes e séries.

Ver mais conteúdos de Taynah Ibanez

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal