MIX

Amber Heard durante depoimento

Reprodução/YouTube

GUERRA SEM FIM

Amber Heard vai recorrer de decisão a favor de Depp, diz advogada

Segundo a advogada de Amber Heard, Elaine Bredehoft, atriz tem uma base sólida para reverter a decisão de pagar US$ 10,3 milhões para Johnny Depp

Luciano Guaraldo

A vitória de Johnny Depp no processo movido contra Amber Heard não marcou o fim da disputa entre os dois. A advogada da atriz, Elaine Bredehoft, afirmou na manhã desta quinta-feira (2) que ela deve recorrer da decisão a favor do astro de Piratas do Caribe. “Ela tem uma base excelente para isso”, disse a defensora.

Em uma entrevista com o matinal Today, da rede NBC, Elaine apontou que a decisão do júri foi influenciada por uma série de fatores, inclusive o apoio a Johnny Depp nas redes sociais. “Ela foi demonizada. Muitas coisas foram permitidas no tribunal que não deveriam ter sido, e isso deixou os jurados confusos”, explicou a advogada, citando ainda que Depp havia perdido o processo movido contra o tabloide britânico The Sun por tê-lo chamado de “agressor de mulheres”.

Questionada se Amber Heard tem condições de pagar a indenização estipulada em US$ 10,3 milhões (R$ 49,2 milhões), Elaine foi direta: “Não. Não mesmo”. Inicialmente, o júri havia definido que ela deveria desembolsar US$ 15 milhões (R$ 71,7 milhões), sendo US$ 10 milhões (R$ 47,8 milhões) para compensação de danos e os outros US$ 5 milhões (R$ 28,7 milhões) como medida punitiva.

A juíza Penney Azcarate, porém, prontamente baixou o valor punitivo para US$ 350 mil (R$ 1,6 milhão), teto máximo para indenizações do tipo no Estado da Virgínia, onde o julgamento ocorreu. Depp, por sua vez, terá de pagar US$ 2 milhões (R$ 9,5 milhões) para Amber por causa de uma declaração feita por seu advogado de que ela e alguns amigos teriam forjado a cena de uma discussão do casal e que suas acusações eram uma farsa.

Elaine Bredehoft também disse ao Today que acredita que a vitória de Johnny Depp manda uma mensagem horrível para outras vítimas de violência doméstica. “É um retrocesso. A não ser que você pegue seu celular e grave seu parceiro te agredindo, ninguém vai acreditar em você”, lamentou.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ

Luciano Guaraldo

Editor-chefe da Tangerina. Antes, foi editor do Notícias da TV, onde atuou durante cinco anos. Também passou por Diário de São Paulo e Rede BOM DIA de jornais.

Ver mais conteúdos de Luciano Guaraldo

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal