Até Anitta? Conheça as 29 artistas citadas por Beyoncé no Queens Remix - Tangerina

MÚSICA

Montagem com Beyoncé e Madonna

Reprodução/Instagram

BREAK MY SOUL

Até Anitta? Conheça as 29 artistas citadas por Beyoncé no Queens Remix

Remix de Break My Soul com Madonna faz um verdadeiro quem é quem da música preta mundial e vai de Aretha Franklin a Chloe x Halle

Luciano Guaraldo

Lançamento surpresa de sexta-feira (5), Break My Soul (The Queens Remix) juntou Beyoncé e Madonna em um feat de quebrar a internet. E, em um momento que retoma a clássica Vogue (1990), da rainha do pop, a mulher de Jay-Z lista várias artistas pretas que mudaram a história da música. Entre os nomes citados, está Anita –o que fez muitos fãs brasileiros pensarem que se tratava de uma referência à cantora de Envolver.

No caso, tudo leva a crer que Beyoncé estava celebrando Anita Baker, musa do soul e do R&B vencedora de oito Grammys e mundialmente conhecida pela música Sweet Love. O que não significa que Anitta não tenha seus méritos nem mereça ser citada em um próximo remix.

De qualquer maneira, Beyoncé faz um verdadeiro quem é quem da música mundial em The Queens Remix. Além de Anita Baker, confira todos os nomes citados pela artista:

  • Sister Rosetta Tharpe (1915-1973), cantora, compositora e guitarrista que fez sucesso nos anos 1930 e 1940 com canções gospel. Ela também é considerada a madrinha do rock e inspirou nomes como Johnny Cash (1932-2003) e Elvis Presley (1935-1977).
  • Santigold, cantora norte-americana que explodiu com o álbum Santogold (2008). Ela misturou new wave, rock alternativo e reggae e já saiu em turnê com nomes como Jay-Z, M.I.A., Björk e Coldplay.
  • Bessie Smith (1894-1937), a “imperatriz do blues” e um dos nomes mais importantes da Era do Jazz, entre as décadas de 1920 e 1930. Considerada uma das melhores cantoras de sua época, morreu em um acidente de carro quando tinha apenas 43 anos.
  • Nina Simone (1933-2003), pianista, cantora, compositora e ativista pelos direitos dos negros norte-americanos. Apesar de conhecida pelo jazz –ela é chamada de “a alta sacerdotisa” do gênero–, tocou blues, R&B, gospel, pop e até música clássica.
  • Betty Davis (1944-2022), a “rainha do funk”. Foi casada com Miles Davis (1926-1991) e conseguiu quebrar barreiras com seu comportamento eclético nos palcos e fora deles. Seu estilo foi considerado precursor do afrofuturismo, um gênero que Beyoncé conhece muito bem.
  • Solange Knowles, cantora, atriz e, claro, irmã mais nova de Beyoncé. Além de músicas como I Decided e Cranes in the Sky, ela é conhecida por ter batido em Jay-Z em um infame vídeo registrado pelas câmeras de segurança de um elevador.
  • Erykah Badu, expoente do neo soul dos anos 1990, em uma mistura de R&B, hip hop, funk e jazz. Indicada a 19 Grammys em sua carreira, ela tem quatro troféus na prateleira. Destaque para as músicas On & On, Love of My Life (An Ode to Hip-Hop) e Honey.
  • Lizzo, um dos nomes mais recentes citados por Beyoncé. A rapper é um caso raro de explosão tardia: Good as Hell foi lançada em 2016, e Truth Hurts no ano seguinte, mas só foram entrar nas paradas de sucesso em 2019. Ela foi a artista com mais indicações ao Grammy de 2020, e atualmente bomba com a música About Damn Time.
  • Kelly Rowland, parceira de Beyoncé no Destiny’s Child. Fora do grupo, ela fez sucesso mundial com a música Dilemma, um feat com o rapper Nelly, e na eletrônica When Love Takes Over, de David Guetta. Kelly também é atriz e estrelou o terror Freddy Vs. Jason (2003).
  • Lauryn Hill, cantora, rapper e atriz que surgiu como integrante do The Fugees no início dos anos 1990. Apesar de só ter lançado um disco solo de estúdio e um acústico, ela é considerada uma das melhores rappers de todos os tempos. Brasileiros também vão se lembrar dela como a Rita do filme Mudança de Hábito 2 (1993).
  • Roberta Flack, a primeira artista a ganhar o Grammy de gravação do ano em duas premiações consecutivas: em 1973 com The First Time Ever I Saw Your Face, e em 1974 com Killing Me Softly with His Song –que, curiosamente, foi regravada por Lauryn Hill com os Fugees duas décadas depois.
  • Toni Braxton, cantora de R&B que vendeu mais de 70 milhões de discos no mundo todo. Vencedora de sete Grammys, ela é conhecida até hoje por canções como Un-Break My Heart e Spanish Guitar.
  • Janet Jackson, cantora, compositora e dançarina. Irmã mais nova de Michael Jackson (1958-2009), ela conseguiu sair da sombra do irmão e cravar o nome com uma carreira própria, com canções de sucesso como Nasty, Control, Rhythm Nation, Scream e All For You. Ficou marcada pela apresentação no Super Bowl de 2004 ao lado de Justin Timberlake.
  • Tierra Whack, rapper de apenas 26 anos que conquistou a crítica e o público com o álbum Whack World (2018), que tinha músicas curtas, de cerca de um minuto. Ela gravou com Beyoncé a canção My Power, do disco The Lion King: The Gift (2019).
  • Missy Elliott, cantora e produtora que é considerada a rainha do rap e vendeu mais de 30 milhões de discos em sua carreira. Já trabalhou com nomes como Christina Aguilera, Lil’ Kim, Ludacris, Eve, Ciara, Timbaland e Pharrell Williams. E, com Beyoncé, lançou Fighting Temptation em 2003.
  • Diana Ross, cantora alçada ao sucesso como a vocalista do grupo feminino The Supremes durante a era da Motown. Foi considerada a maior entertainer do século pela revista Billboard, recebeu 12 indicações ao Grammy e ganhou um troféu especial pelo conjunto da obra em 2012.
  • Grace Jones, modelo, cantora e atriz tão importante para Beyoncé que é citada duas vezes no verso. Lançada na era da disco music nos anos 1970, migrou para o reggae, o funk e o pop na década seguinte. Sua imagem andrógina e suas roupas no estilo neo-cubista viraram sua marca registrada.
  • Aretha Franklin (1942-2018), a rainha do soul. Vendeu mais de 75 milhões de discos no mundo todo, ganhou 18 Grammys e é uma das maiores lendas da música. Se você não conhece o trabalho da cantora, pare tudo o que está fazendo e vá ouvir as canções Respect e Chain of Fools agora mesmo.
  • Sade, citada por Beyoncé com o nome completo, Helen Folasade Adu, cantora nigeriana que mudou a música contemporânea com seu pop repleto de soul. Smooth Operator foi lançada em 1984 e, quase 40 anos depois, segue embalando casais e inspirando artistas do mundo todo. Um feito para poucos.
  • Jill Scott, ou Jilly from Philly, cantora que começou sua carreira com discos de poesia falada e que mistura jazz, ópera, R&B e hip hop em suas músicas. Um de seus diferenciais é a sua capacidade de dar agudos que poucas artistas alcançam. Também atriz, ela dublou Tempestade em uma animação pouco conhecida do Pantera Negra lançada em 2010.
  • Michelle Williams, outra parceira de Beyoncé no Destiny’s Child. Ela se juntou ao grupo no meio, após a saída de LeToya Luckett e LaTavia Robertson, mas fez parte da composição mais conhecida. Como artista solo, lançou quatro discos de estúdio, o mais recente deles em 2014.
  • Chloe x Halle, duo formado pelas irmãs Chloe e Halle Bailey. As duas começaram postando vídeos no YouTube e foram descobertas pela própria Beyoncé, que virou uma espécie de madrinha musical delas. Elas fizeram o show de abertura da turnê de Formation, em 2016, e participaram do álbum visual de Lemonade no mesmo ano.
  • Aaliyah (1979-2001), cantora que ajudou a redefinir o R&B contemporâneo, o pop e o hip hop. Além de hits como Try Again e e Rock the Boat, ela era atriz e estrelou o filme Rainha dos Condenados (2002), situado no universo de Entrevista com o Vampiro.
  • Alicia Keys, cantora que explodiu logo com seu primeiro álbum, Songs in A Minor (2001), vencedor de cinco Grammys. Em parceria com Beyoncé, ela gravou Put It in a Love Song, que teve seu clipe gravado no Rio de Janeiro, mas nunca foi lançado oficialmente. Ela já foi técnica da versão norte-americana do reality The Voice.
  • Whitney Houston (1963-2012), cantora que vendeu mais de 200 milhões de discos no mundo todo. Vencedora de seis Grammys e com 28 recordes no Guinness Book, é considerada uma das melhores artistas de todos os tempos. Assim como Aretha Franklin, se você não a conhece, vá fazer sua lição de casa agora e ouvir I Will Always Love You.
  • Rihanna, ou Riri, cantora de Barbados que redefiniu a música pop neste século. Tem no currículo sucessos como Umbrella, Don’t Stop the Music, Only Girl (In the World), We Found Love, Diamonds, Work e Love on the Brain. Atualmente, tem se dedicado mais aos negócios da que à carreira de cantora, e os fãs seguem na esperança de um novo disco.
  • Nicki Minaj, principal rapper da atualidade. Com seu visual de desenho animado, suas expressões exageradas e o jeito de quem não leva nada a sério, tem no currículo canções como Super Bass, Starships, Anaconda e Bang Bang, além de vários feats com outros nomes –se tem uma coisa que não podemos dizer da artista, é de que ela não é produtiva.
Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ

Luciano Guaraldo

Editor-chefe da Tangerina. Antes, foi editor do Notícias da TV, onde atuou durante cinco anos. Também passou por Diário de São Paulo e Rede BOM DIA de jornais.

Ver mais conteúdos de Luciano Guaraldo

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal