Nick Cave: O que esperar do novo documentário do cantor - Tangerina

MÚSICA

Nick Cave com os olhos fechados

Divulgação

Na Mubi

Luto, diabo e poema: O que esperar do novo documentário de Nick Cave?

Longa This Much I Know to Be True estreia na Mubi e mostra performances dos álbuns Ghosteen (2019) e Carnage (2021)

Lucas Almeida
Lucas Almeida

Nick Cave estrela o documentário This Much I Know to Be True, disponível a partir desta sexta-feira (8) na Mubi. O longa apresenta performances dos dois últimos álbuns lançados pelo roqueiro ao lado do músico Warren Ellis, Ghosteen (2019) e Carnage (2021).

Gravado no Reino Unido, o filme mostra o processo de luto de Nick Cave com a morte do filho Arthur (2000-2015). O longa foi finalizado antes do filho mais velho do músico, Jethro Lazenby (1991-2022), também morrer, em maio deste ano.

This Much I Know to Be True estreou mundialmente na seleção especial do Festival de Berlim de 2022. A Tangerina já assistiu ao filme e revela os pontos altos da produção.

Nick Cave dá um show

Nick Cave cantando com a banda

Cena do documentário This Much I Know to Be True

A maior parte do filme é composta por performances de canções. Para isso, Nick Cave aparece acompanhado do colega e compositor Warren Ellis, de um quarteto de cordas e de três backing vocals. Tudo foi gravado em uma antiga fábrica abandonada na cidade de Bristol.

A produção mostra um olhar único para a gravação de cada faixa. Em alguns momentos, a câmera corre em um trilho circular ao redor dos músicos; em outras, a ação fica por conta da iluminação.

O filme tem cenas completamente escuras, outras com luzes piscando e até com um clarão que deixa a tela quase inteira branca. A sensação é de estar assistindo a um videoclipe para cada canção.

Momentos de descontração

Veja um trecho do filme This Much I Know to Be True

Marianne Faithfull recita o poema Prayer Before Work

As performances grandiosas são intercaladas com algumas passagens bem descontraídas. Uma das mais engraçadas é com a participação da cantora Marianne Faithfull, ícone dos anos 1960 e grande amiga de Nick Cave. Ela aparece para recitar o poema Prayer Before Work, que a poetisa americana Eleanore Marie Sarton (1912-1995) publicou sob o pseudônimo de May Sarton.

Marianne teve sequelas depois de ser internada com Covid-19, em 2020. Com a ajuda de um cilindro de oxigênio para respirar, ela dá ordens precisas para a produção, para se certificar de que fará a sua participação sem ter que repetir as falas. A atitude tira gargalhadas da equipe.

Outro momento inusitado é quando Nick Cave apresenta a sua coleção de cerâmicas. Ele gastou grande parte da pandemia esculpindo uma série de obras, chamada A Vida do Diabo. Cada peça representa um momento marcante na vida do personagem bíblico, da infância à morte.

Convivendo com o luto

This Much I Know to Be True ainda serve como uma continuação do longa One More Time With Feeling (2016), que documenta a criação do álbum Skeleton Tree (2016), logo após a morte de Arthur Cave (2000-2015).

No novo projeto, Nick mostra como ganhou novos propósitos de vida longe do trabalho como músico. Um dos grandes pilares para isso é o tempo que gasta com um site em que responde perguntas existenciais e desabafos de fãs, o The Red Hand Files. Para a câmera, ele lê alguns relatos emocionantes que envolvem o luto.

Os dois documentários foram dirigidos pelo australiano Andrew Dominik, amigo de longa data de Nick Cave. Dominik realizou o último projeto logo depois de finalizar as gravações um outro longa: Blonde, a cinebiografia de Marilyn Monroe estrelada por Ana de Armas, que estreia em setembro na Netflix.

Nick Cave com os olhos fechados

Veja o trailer do filme This Much I Know to Be True

Longa dirigido por Andrew Dominik estreia nesta sexta-feira (8), na Mubi

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Lucas Almeida

Lucas Almeida

Repórter. Passou pela MTV Brasil e Veja.com. É fã de um pop triste e não deixa de ouvir todos os lançamentos musicais da semana.

Ver mais conteúdos de Lucas Almeida

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal