Titãs: Filme tem 'treta' com Lulu Santos, prisão e despedidas - Tangerina

MÚSICA

Titãs e Sarah Oliveira no documentário Bios. Vidas que Marcaram a Sua

Divulgação

Bios. Vidas que Marcaram a Sua

Documentário do Titãs tem ‘treta’ com Lulu Santos, prisão e despedidas

Lançado pelo Star+, filme tenta não ser chapa branca e mostra dramas e glória da banda que completa 40 anos

Luccas Oliveira
Luccas Oliveira

Banda cuja história se confunde com a do rock brasileiro, o Titãs tem seus 40 anos de estrada resumidos no documentário Bios. Vidas que Marcaram a Sua. O filme de 1h30, produzido pela National Geographic, entrou no catálogo do Star+ nesta sexta-feira (29).

Integrantes remanescentes da banda, Branco Mello, Sérgio Britto e Tony Bellotto são acompanhados pela jornalista Sarah Oliveira em locais importantes para a história do grupo. Entre eles, o pátio do Colégio Equipe, em São Paulo, onde o grupo se conheceu, e o SESC Pompeia, palco do primeiro show do Titãs.

Titãs e Sarah Oliveira no documentário do National Geographic

Assista ao trailer do documentário do Titãs

Filme é da série Bios. Vidas que Marcaram a Sua

Um dos trunfos do filme, no entanto, está na participação dos ex-integrantes do grupo. Arnaldo Antunes, Nando Reis, Paulo Miklos, Charles Gavin e André Jung dão depoimentos, assim como Liminha, produtor de discos clássicos, como Cabeça Dinossauro (1986) e Jesus não Tem Dentes no País dos Banguelas (1987).

“O filme trouxe diversas visões, de ex-integrantes, jornalistas, o mesmo assunto comentado por pessoas e visões diferentes”, reforçou o guitarrista Bellotto. “Às vezes, você acaba revendo sua visão dos assuntos”. Mello fez coro: “Me lembrei de coisas que eu não lembrava mais e é muito interessante ouvir os outros falando sobre o mesmo fato”.

Doc do Titãs tenta não ser chapa branca

Apesar da participação ativa do Titãs, o documentário evita ser chapa branca. Os entrevistados falam abertamente sobre passagens conturbadas do grupo, como as saídas forçadas de Ciro Pessoa e André Jung ou o “chapéu” que deram em Liminha na gravação de Tudo ao Mesmo Tempo Agora (1991).

Outro ponto que talvez não seja de conhecimento das novas gerações é que o hitmaker Lulu Santos, já um músico reconhecido, produziu o segundo disco do Titãs, Televisão (1985). O encontro, no entanto, é contada como um episódio difícil. Lulu, que não participa do filme, ficou incomodado com alguns comentários dos músicos à época e a banda não aprovou a figura centralizadora dele no estúdio.

Afinal, como disse Branco Mello, o Titãs já tinha cabeças pensantes demais. “É uma banda muito diferente de todas que eu conheço, por todos fazerem música, serem compositores. Tínhamos cinco cantores. Não é algo fácil de encontrar na história do rock. É um diferencial”, lembrou.

Faustão deu força em momento difícil

Outro momento complicado para a banda abordado no documentário é as prisões de Arnaldo Antunes e Bellotto por porte de heroína. Arnaldo foi fichado como traficante e precisou ficar na cadeia por um mês. À época, em 1985, eles foram usados como exemplos dos perigos da droga.

A carreira estava decolando, mas sofreu um baque com shows e programas de TV cancelados —menos o de Faustão, que bancou a presença do Titãs e é elogiado até hoje por Nando Reis.

A banda Titãs no clipe de Caos

Assista ao clipe de Caos, inédita do Titãs

Música foi composta por Rita Lee, Roberto de Carvalho e Beto Lee para a banda

“Quando começamos, nosso grande objetivo era conseguir gravar um disco”, conta Britto. “Não tinha muito essa história de gente jovem vivendo de música. Tinha a turma da MPB, só. Para nós, parecia uma coisa muito difícil gravar. Era uma paixão de adolescente que se concretizou. Nossa vida não é um mar de rosas, mas realizamos um sonho”.

Antes um octeto, agora o Titãs se resume a um trio que ganha a ajuda de Beto Lee e Mario Fabre nos shows. A banda se prepara para lançar um disco de inéditas ainda em 2022. As mudanças nas formações, com as saídas de integrantes importantes, e a trágica morte do guitarrista Marcelo Fromer (“nossa maior tragédia”, aponta Bellotto), em 2001, também são capítulos importantes do documentário.

“A cada saída, a gente tem a impressão que talvez tudo acabe, que era a peça que faltava para a coisa ruir. A última saída, do Paulo [Miklos, em 2016], foi muito difícil”, confirma Bellotto. “Mas aí acontece uma coisa que não é racional, pinta um instinto de sobrevivência. A banda é uma entidade coletiva que se sobrepõe às individualidades”.

O episódio do Titãs na série documental Bios. Vidas que Marcaram a Sua está disponível no Star+.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Luccas Oliveira

Luccas Oliveira

Luccas Oliveira é editor de música na Tangerina e assina a coluna Na Grade, um guia sobre os principais shows e festivais que acontecem pelo país. Ex-jornal O Globo, fuçador do rock ao sertanejo e pai de gatos, trocou o Rio por São Paulo para curtir o fervo da noite paulistana.

Ver mais conteúdos de Luccas Oliveira

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal