FRESQUINHAS!

Lançamentos musicais: Red Hot Chili Peppers

Divulgação

Fresquinhas!

De Harry Styles a Chili Peppers, o que ouvir (ou não) nesta semana

Semana cheia teve ainda novidades de Karol Conká, Pabllo Vittar, Miley Cyrus, Ruxell, entre outros

Dora Guerra

Dora Guerra

Antes de falar dos lançamentos da semana, um bom dia pra você que tinha uma capa de álbum icônica e lindíssima de pé na frente de um ônibus no Rio, mas a trocou por um Photoshop meio esquisito. Talvez este bom dia tenha sido levemente específico, mas não faz mal.

Ser músico deve ser difícil, viu. Quando você finalmente lança uma obra que gosta, vem uns chatos (feito eu) dizer que não ficou tão legal assim. Ou que ficou, mas não precisava do saxofone. Mas bom, todos nós temos que trabalhar —e o meu trabalho é, às vezes, criticar o saxofone.

Bom, hoje tem lançamentos pra caramba. O que facilita a minha parte do lado de cá, claro, porque ficar comentando semana parada requer muita criatividade (e, às vezes, requer falar mal de mais gente do que eu gostaria). Nem tenho tanta coisa pra falar mal assim, aliás. Um alívio.

Há de refrescar:

Karol Conká – Urucum
Nada como uma boa reviravolta

Apesar de bancar a vilã e rir de si mesma a essa altura, tudo que Karol Conká quer é voltar a ser artista —se descolar da visão de personagem, lembrando a todos a que veio. Urucum consegue isto em parte: tem faixas sensíveis, outras provocadoras, incluindo até a famosa Louca e Sagaz, criada por uma mamacita pré-furacão. 

Karol Conká e WC no Beat

Assista ao clipe de Louca e Sagaz

A música é uma parceria com o produtor WC no Beat

É um disco que mostra que Karol tem um lugar inquestionável no rap (e na música) de modo geral, com produção bem feitíssima pelo RDD. O álbum abre muito bem com a ótima Fuzuê, mas acho que algumas não sustentam o ritmo lá em cima e não são tããão boas. Em contrapartida, tem algumas que considero excelentes. Mas ouve lá e me conta.

Red Hot Chili Peppers – Unlimited Love
Pode repetir fórmula do sucesso, sim

Finalmente, tá aí o álbum novo do Red Hot Chili Peppers, o primeiro em algum tempo com o guitarrista John Frusciante —e produção, de novo, de ninguém menos que Rick Rubin. Unlimited Love é um álbum sobre amar desenfreadamente sua própria fórmula de sucesso. É bem o RHCP que muitos de nós aprendemos a amar, melódico, roqueiro, mas groovy. 

Trecho do clipe do Red Hot Chilli Peppers

Assista ao clipe de Black Summer

A faixa marca o retorno de John Frusciante e do produtor Rick Rubin

Para todos os efeitos, esta é a grande conclusão sobre o álbum: em Unlimited Love, o Red Hot Chili Peppers não é nada mais que o Red Hot Chili Peppers —evocando aquela sensação de que você já ouviu tudo aquilo antes. É tipo uma grande zona de conforto auditiva, que, pessoalmente, achei bastante confortável. 

Vai mudar a sua vida, te apresentando um Red Hot inovador que você nunca ouviu? Não. Mas é gostoso se sentir em casa —e essa é a vibe geral desse disco.

Pabllo Vittar, Rina Sawayama – Follow Me
A sensação auditiva de ver luzes roxas refletindo no seu copo de gin

Taí a parceria moldada pra agradar o povo animado (e aliados). Follow Me é feita pra dançar de madrugada: vai soar muito melhor nas grandes caixas de som que no sonzinho do seu celular, aliás. 

Pabllo Vittar e Rina Sawayama no clipe de Follow Me

Veja o clipe de Follow Me

Música em inglês é parceria de Pabllo com RIna Sawayama

Se você superar a estranheza inicial, a faixa tem um bom potencial pra te fazer cantar e dançar. No conjunto, é uma música bem divertida. A produção segue caminhos inesperados, além de explorar os agudos de Pabllo que sempre te arrancam um sorriso (e Rina não fica atrás). Mas tem que superar a estranheza inicial.

Ruxell – Tropical Baile
Ruxell beat envolvente, mas e o resto?

No novo EP de Ruxell (o famoso “Ruxell beat envolvente” das mais brabas da Gloria Groove), o produtor investe naquela coisa tropical-brasilidades-pra-dançar-de-shortinho, o que ele carinhosamente apelida de Música Eletrônica Popular Brasileira. Com vários novos feats, ele passeia entre funk, afrobeat, sambinha e afins com o que de fato são bons beats. Mas, no conjunto, as músicas não ficam lá tão envolventes quanto ele promete. 

Vou admitir: senti falta da Lady Leste. A gata tem presença.

Miley Cyrus – Attention (Live)
Saudades do que a gente viveu 

No fim daquele show estrondoso da Miley no Lolla, a artista anunciou o lançamento de Attention, seu disco gravado ao vivo. O álbum é um presentão, por mais que não seja composto totalmente por inéditas. Tem Where Is my Mind e Nothing Compares 2 U na voz sensacional da cantora, tem clássicos da época Hannah Montana e o principal: tem um pouco (só um pouco) da energia incrível da artista ao vivo. 

Afinal, ela sabe que tá na performance seu maior mérito —e, de quebra, você relembra os bons momentos que viveu com ela, seja no show ou vendo pela TV.

Harry Styles – As It Was
Mais um viciado em nostalgia, bora lá

As It Was é o primeiro lançamento de Harry para seu futuro novo álbum, Harry’s House. No caso, a casa de Harry é um synthpop com cara de oitentão, percussão a la Take on Me e por aí vai. 

Harry Styles em cena do clipe As It Was

Assista ao clipe de As It Was

É a primeira inédita de Harry Styles desde Fine Line (2019)

É uma música gostosinha. Curto especialmente a forma suave com que ele canta os versos, na tranquilidade de quem tem uma casa gigantesca em algum lugar no Reino Unido. Mas será que algum dia ele vai sair do mundinho nostálgico dele? (Esta não é necessariamente uma crítica. Apenas um questionamento…)

Outras em uma frase

Dilsinho, Sorriso Maroto – Sorriso e Dilsinho: 
se envolve um sorriso maroto do Dilsinho, envolve um sorriso meu.

Melody, Gustavo Mioto – Termina por Mim: 
a mudança de tom na entrada da Melody é um show à parte.

Kehlani, Justin Bieber – up at night: 
me foi anunciada via Instagram e por isso eu tomei ranço antes mesmo de ouvir.

Ibeyi, Jorja Smith – Lavender & Red Roses:
um festival das vozes que você queria ter.

—————————————————————————————————————————

Por hoje, de lançamentos, é isso. Esqueci de fazer piadas com o fato de que hoje é Dia da Mentira, mas tenho certeza que a capa do álbum da Anitta não é uma delas. 

No mais, eu tô de olho é no line-up do Primavera Sound no fim do mês. E até conseguir comprar meu ingressinho, não gastarei um tostão em absolutamente nada, vivendo reclusa à base de sol e água. Fica o conselho bastante saudável pra você também! 

Quer ficar por dentro de todas as músicas novas do momento? Fica de olho na Tangerina que todas as semanas entregamos novidades fresquinhas pra você.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Dora Guerra

Dora Guerra

Dora Guerra é pesquisadora musical e pensa mais sobre o tema do que deveria. Na Tangerina, publica a coluna Fresquinhas!, sobre lançamentos musicais. Suas posses incluem: a newsletter Semibreve, o podcast Queijo Quente, uma vira-lata caramelo, alguns vinis e uma vitrola estragada.

Ver mais conteúdos de Dora Guerra

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal