Anitta vira rapper em novo feat com Filipe Ret - Tangerina

MÚSICA

Filipe Ret e Anitta

Reprodução/Instagram

TUDO NOSSO

Sem medo de ousar, Anitta vira rapper em novo feat com Filipe Ret

O clipe de Tudo Nosso mostra um lado bem sensual e ousado de Anitta, que manda recado aos haters e também se arrisca ao cantar versos de rap

Giulianna Muneratto

A nova parceria de Anitta com Filipe Ret traz sensualidade, ousadia e a Girl from Rio mostrando uma nova faceta. O videoclipe de Tudo Nosso foi lançado na terça-feira (12) no YouTube e, além de protagonizar cenas quentes com Ret, a cantora arrisca alguns versos destemidos de rap. 

Em Tudo Nosso, Anitta manda recado sem medo aos haters e fala sobre seu pioneirismo na música. “Se eles tão se achando avisa pra baixar a cabeça/ Tu só aí porque eu abri pra tu passar”, canta. “Me chamam de puta, de vagabunda/ Rebolando a bunda eu deixo eles cegos.”

Assista ao videoclipe:

Filipe Ret e Anitta

Tudo Nosso, de Filipe Ret com participação de Anitta

Videoclipe traz ousadia, sensualidade a poderosa cantando versos de rap

Ontem, os artistas também fizeram uma live para comentar o lançamento do novo clipe. “O povo quer ver a gente, o povo quer ver uma tensão sexual. Dentro dos limites, sem desrespeitar a minha situação. Aí a gente fez o clipão! Está sexy e simples, porém com beleza. Entrega sensualidade sem ser vulgar. É muito chique”, afirmou Anitta.

Ret revelou que toda a ideia por trás do registro visual da música veio da poderosa. “A Anitta fez uma ligação e levantou o clipe em dois dias. Eu só paguei o clipe.”

Anitta também aproveitou o alcance da live para abrir novamente o jogo sobre sua posição política. “Ontem, eu fiquei sabendo que um cara foi morto por um apoiador do Voldemort [Jair Bolsonaro], simplesmente porque o cara apoiava o Lula e fez uma festa de aniversário com o tema Lula”, explicou.

Ret também declarou voto em Lula ao vivo, enquanto Anitta argumentava seus motivos para manifestar seu voto abertamente este ano. “Nunca votei no Lula e no PT. Sempre fui bem contra. Só que eu escolhi declarar voto ao Lula –coisa que eu não ia fazer, eu realmente queria achar que o Brasil poderia achar em uma terceira solução, um meio termo entre um e outro, porque vira sempre uma guerra”, declarou.

“A partir do momento que uma pessoa mata outra pessoa, isso é o início de um bagulho muito perigoso. Eu nunca vi tanta agressividade como eu vejo hoje em dia, eu acho que quem é nosso líder não pode ser agressivo.”

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ

Giulianna Muneratto

Jornalista pela Faculdade Cásper Líbero. Adora um filme clichê, música pop e sonhava em ser cantora de cruzeiro, mas não tem talento pra isso.

Ver mais conteúdos de Giulianna Muneratto

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal