Johnny Depp: Disco com Jeff Beck é detonado pela crítica - Tangerina

MÚSICA

Johnny Depp e Jeff Beck na divulgação do cover de Isolation

Divulgação

Com Jeff Beck

‘Exibição maçante de autopiedade’: Jornal detona álbum de Johnny Depp

18, disco colaborativo com o ídolo Jeff Beck, traz 13 faixas, duas delas compostas por Depp

Luccas Oliveira
Luccas Oliveira

Visto como o retorno triunfal de Johnny Depp à música, o álbum 18 tem sido detonado pela crítica. O trabalho chega às plataformas de streaming nesta sexta-feira (15) e marca ainda a parceria do ex-astro de Hollywood com o guitarrista Jeff Beck, seu ídolo.

Dois dos maiores jornais da Inglaterra, The Guardian e The Independent avaliaram o disco de Johnny Depp com apenas duas estrelas —de um total de cinco. Para o primeiro, 18 é “uma exibição maçante de autopiedade colossal”.

“Os covers superficiais deste álbum colaborativo servem para mostrar o quão ruim é a composição de Depp, enquanto ele reclama sobre o quão horrível é ser ele”, escreveu o crítico Michael Hann, do Guardian.

Mark Beaumont, do Independent, também atacou a falta de habilidade de Johnny Depp enquanto compositor. Mas foi além. “[A faixa] This is a Song For Miss Hedy Lamarr, que faz referência à atriz alemã da década de 1930 que foi ‘cancelada’ por conta de cenas de nudez que ela não aprovou, é simplesmente horrível, um rock suave que só serve para expor as habilidades de composição de jardim de infância de Depp”, avaliou.

Um dos maiores guitarristas do rock, Jeff Beck é amigo de longa data de Johnny Depp e tem “comprado a briga” do ator nestes últimos meses conturbados.

O álbum 18, inclusive, foi anunciado oficialmente em junho, durante um show de Beck no qual Depp subiu ao palco para fazer uma participação. A apresentação na Inglaterra ocorreu um dia depois do resultado do julgamento que envolveu o ator e a ex-mulher, Amber Heard, que foi positivo a ele.

“Eu conheci esse cara há cinco anos e nós nunca paramos de rir desde então. Nós até fizemos um álbum. Não sei como isso aconteceu. Vai sair em julho”, declarou Beck, à época.

18 conta com 13 faixas, todas cantadas por Johnny Depp. Os vocais de entonação baixa, aliás, renderam um dos poucos elogios ao artista —o Guardian classificou como um “barítono gentil e sem rodeios”. Apenas duas canções são autorais: Sad Motherfuckin’ Parade e This is a Song For Miss Hedy Lamarr.

Ao longo do álbum, além de cantar, Depp se reveza entre guitarra, baixo, violão, percussão e bateria. Apesar dos esforços, o resultado não agradou aos especialistas.

“É difícil imaginar o nível de intoxicação e/ou autoilusão que convence alguém de que um disco tão fraco seria uma grande declaração de retorno”, escreveu o Independent. “Podemos apenas presumir que, tendo ouvido o disco, Depp sabia que sua carreira musical havia terminado de qualquer maneira, então, que diabos!”.

Ainda não foi confirmado se Johnny Depp e Jeff Beck farão shows para promover 18. O músico e ator, porém, já tem datas confirmadas com sua banda, o Hollywood Vampires, para o meio de 2023.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Luccas Oliveira

Luccas Oliveira

Luccas Oliveira é editor de música na Tangerina e assina a coluna Na Grade, um guia sobre os principais shows e festivais que acontecem pelo país. Ex-jornal O Globo, fuçador do rock ao sertanejo e pai de gatos, trocou o Rio por São Paulo para curtir o fervo da noite paulistana.

Ver mais conteúdos de Luccas Oliveira

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal