FILMES E SÉRIES

Capa da lista de melhores séries da Netflix com imagens de Inventando Anna, Better Call Saul e All of us are Dead

Fotos: Divulgação. Montagem: Tangerina

Lista

Sabor de maratona: 40 melhores séries para assistir na Netflix

Uma lista fresquinha de séries para maratonar quando você quiser

Rafael Argemon

Rafael Argemon

Pioneira entre as plataformas de streaming, não há como negar que a Netflix ainda está -mesmo com a concorrência feroz de outras plataformas que surgem, a cada dia- bem à frente, em questão de popularidade e de quantidade de séries disponíveis também.

É tanta coisa lançada toda semana que fica praticamente impossível manter o ritmo de maratonas. Aliás, foi a própria Netflix quem inventou esse estilo de exibição de séries no streaming disponibilizando todos os episódios de uma vez, impactando profundamente a forma como as  pessoas consomem essas produções, criando o famoso “binge watching” – A palavra binge é normalmente utilizada para descrever ações que ocorrem de maneira excessiva, como comer, beber ou mesmo gastar dinheiro, no caso refere-se a “assistir” a algum programa. Ou seja, em bom português: maratonar séries.

Pensando em te ajudar nessa tarefa complicada, reunimos aqui 40 séries que entendemos como imperdíveis dentro do catálogo da Netflix.

Claro que ainda há muitas outras, mas temos certeza que aqui você vai encontrar uma série para chamar de sua.

Prepare os comes e bebes e boa maratona!

A Maldição da Residência Hill (2018)

Residência Hill

Trailer de A Maldição da Residência Hill

Mescla de terror com drama familiar marca a série do diretor Mike Flanagan

Baseada no clássico de horror de Shirley Jackson, a série dirigida por Mike Flanagan mescla terror e drama ao retratar a vida de cinco irmãos que são forçados a retornar à mansão em que viveram na infância, uma famosa casa mal-assombrada, e encarar fantasmas do passado. A série abriu os olhos de muita gente para a obra de Flanagan, que utiliza elementos característicos do horror como representações de dramas internos de personagens em constante questionamento sobre o rumo de suas vidas.

Dois pelo preço de um: Curtiu o estilo de Mike Flanagan contar uma história de terror? Então não deixe de ver Missa da Meia-Noite.

Presta atenção, freguesia: No elenco de ótimos atores não tão conhecidos, como Michiel Huisman, Carla Gugino, Oliver Jackson-Cohen, Kate Siegel e Victoria Pedretti; e em Henry Thomas, que ficou mais conhecido como o garoto Elliott, do clássico E.T.: O Extraterrestre (1982). 

Assista na Netflix

All of Us Are Dead (2022)

Cena de All of Us Are Dead

Trailer de All of Us Are Dead

K-drama de zumbis é a terceira produção estrangeira mais assistida da Netflix

Os k-dramas (séries sul-coreanas) estão em alta na Netflix desde o fenômeno Round 6. Tanto que All of Us Are Dead liderou a lista de produções não faladas em inglês mais vistas da plataforma em 2022. Ela é a quarta série sul-coreana a liderar as paradas semanais globais da Netflix, depois de Round 6, Profecia do Inferno e O Mar da Tranquilidade. Outra característica interessante é que o subgênero de zumbis é muito bem representado por k-dramas. Como é o caso de All of Us Are Dead. Na série, a rotina do colégio Hyosan seguia normal até que um vírus que transforma as pessoas em zumbis se espalha rapidamente. Presos dentro da escola, os sobreviventes fazem de tudo para se defender os ataques de colegas e professores infectados.

Dois pelo preço de um: Mais zumbis? Então se liga só na curiosa Kingdom, que mistura drama histórico com mortos-vivos.

Presta atenção, freguesia: Diferente de muitos outras produções semelhantes, a série foca muito mais nos dramas psicológicos de seus protagonistas do que no aspecto gore (nojento) de uma típica história de zumbis. 

Assista na Netflix

Arremesso Final (2020)

Arremesso Final

Trailer de Arremesso Final

Minissérie documental celebra e humaniza a lenda Michael Jordan

Co-produção da Netflix com a ESPN, a minissérie documental esmiúça a carreira do maior jogador de basquete de todos os tempos, Michael Jordan, fazendo um paralelo de sua última temporada no Chicago Bulls, quando conquistou seu sexto título da NBA, com sua

trajetória desde os tempos de jogador universitário. Recheado de histórias saborosas, intrigas, viradas históricas e derrotas dolorosas, Arremesso Final mostra que Jordan, por mais que nos pareça super-humano como esportista, é uma pessoa comum, cheia de contradições.

Dois pelo preço de um: Losers é outra série esportiva com ótimas histórias.

Presta atenção, freguesia: Em lances decisivos históricos de Michael Jordan, como o arremesso que deu a vitória dos Bulls contra os Cavs nos playoffs de 1989, que ficou conhecido como The Shot (o arremesso).

Assista na Netflix

Better Call Saul (2015 – )

Better Call Saul

Trailer de Better Call Saul

Série sobre Saul Goodman mostra que é bem mais do que um derivado de Breaking Bad

Série derivada da queridinha do público, Breaking Bad, uma das mais aclamadas da última década, Better Call Saul estreou em fevereiro de 2015 com uma expectativa absurda de sucesso que, convenhamos, jamais seria alcançada. Mas, nunca quis ser uma simples continuação de Breaking Bad. A jornada de transformação de Jimmy McGill (Bob Odenkirk) no ardiloso e divertido advogado Saul Goodman é muito mais intimista e de ritmo bem mais cadenciado que a do professor de química Walter White (Bryan Cranston) no implacável Heisenberg. Aqui, Vince Gilligan – criador de ambas as séries – aposta muito mais na sua habilidade de roteirista para construir uma narrativa arrasadora, porém, sem tantos rompantes de violência e viradas espetaculares quanto em Breaking Bad.

Dois pelo preço de um: Mesmo distintas em muitos aspectos, Fargo tem muito a ver com a vibe de Better Call Saul. 

Presta atenção, freguesia: Na química incrível da dupla Bob Odenkirk e Rhea Seehorn como Jimmy McGill e Kim Wexler, e o retorno de personagens marcantes de Breaking Bad, como Mike Ehrmantraut (Jonathan Banks), Gus Fring (Giancarlo Esposito) e Hector Salamanca (Mark Margolis).

Assista na Netflix

Black Mirror (2011 – 2019)

Black Mirror

Trailer de Black Mirror

Fenômeno pop que nos fez achar que tudo era muito Black Mirror

O mundo demorou um pouco para prestar atenção em uma pequena série de antologia de ficção científica com temporadas de apenas três episódios criada pelo visionário Charlie Brooker. O mote aqui é mostrar o lado sombrio dos avanços tecnológicos no estilo de Além da Imaginação. Mas Black Mirror explodiu mesmo depois de ser comprada pela Netflix, que passou a produzir – e divulgar- a série.  Mesmo se tornando um fenômeno pop nesse período, o fato é que o aumento no número de capítulos impacta a qualidade da série. Ainda assim, há episódios incríveis, como San Junipero e Nosedive, (cuja premissa já é uma realidade), por exemplo.

Dois pelo preço de um: Ficção científica de bugar a cabeça é a sua praia? Dark é outra excelente opção.

Presta atenção, freguesia: Nos nomes estelares que dão às caras de vez em quando como Bryce Dallas-Howard, Jon Hamm e Hayley Atwell.

Assista na Netflix

BoJack Horseman (2014 – 2020)

BoJack Horseman

Trailer de BoJack Horseman

Série animada faz uma agridoce análise do vazio da cultura das celebridades

Não se engane com o fato de BoJack Horseman ser uma animação. E também com o fato de ser uma comédia. Sua versão satírica de uma Hollywood povoada por animais antropomorfizados traz reflexões bem profundas – e tristes – sobre a vida vazia de significados das celebridades, ao focar sua história em um cavalo que era a estrela de uma famosa série de TV nos anos 1990 mas que hoje não passa de uma ex-celebridade amargurada.

Dois pelo preço de um: Do mesmo time de criadores de BoJack Horseman, Tuca & Bertie é perfeita para maratonar assim que você terminar BoJack. Ah, e fique tranquilo, é bem mais alto astral.

Presta atenção, freguesia: Nos diálogos pra lá de ácidos e realistas.

Assista na Netflix

Bom Dia, Verônica (2020 – )

Bom dia, Verônica

Trailer de Bom dia, Verônica

Um sólido thriller policial brasileiro baseado no livro de Ilana Casoy e Raphael Montes

Além do fato de ser um tipo de produção audiovisual pouco explorada por aqui, tratando de uma trama envolvendo um serial killer brasileiro, Bom dia, Verônica rompe outro tabu do gênero: sua protagonista é uma mulher. A destemida escrivã de uma delegacia de homicídios de São Paulo, Verônica Torres (Tainá Müller). A história começa quando uma mulher vai a uma delegacia denunciar um homem que lhe aplicou um golpe “Boa Noite, Cinderela”. No meio da investigação, Verônica acaba esbarrando em outro caso de um serial killer chamado Brandão (Eduardo Moscovis), que coage sua esposa Janete (Camila Morgado) a atrair e matar mulheres vulneráveis em um ritual macabro e brutal. O problema é que esse assassino em série é também policial militar.

Dois pelo preço de um: Quer continuar naquele clima de histórias de psicopatas? You será sua nova série depois de ver Bom Dia, Verônica.

Presta atenção, freguesia: Em Du Moscovis e Camila Morgado como Brandão e Janete.

Assista na Netflix

Boneca Russa (2019 – )

Cena da série Boneca Russa

Trailer de Boneca Russa

Natasha Lyonne te leva por uma jornada de bugar a cabeça

A premissa de Boneca Russa não parece lá muito inovadora, pois utiliza o batido recurso do looping temporal para contar uma história de redenção. Mesmo recurso usado por inúmeros filmes, como Feitiço do Tempo (1993) ou No Limite do Amanhã (2014). Mas ela é bem mais do que isso. A protagonista é Nadia Vulvokov (Natasha Lyonne), que comemora seus 36 anos em uma festa no apartamento chique de uma amiga. Ao sair de lá, durante a madrugada, para procurar seu gato perdido nas imediações, acaba morrendo atropelada. A morte, porém, não é o fim para ela, que “acorda” no mesmo banheiro do apartamento onde acontece seu aniversário. Momentos antes do mesmo acidente. E assim sucessivamente até ela tentar acertar.

Dois pelo preço de um: The Good Place é outra ótima opção para dar umas risadas e uma bugadinha gostosa no cérebro.

Presta atenção, freguesia: No talento de Natasha Lyonne, que, além de atuar como a protagonista da série, também é roteirista e dirige alguns episódios.

Assista na Netflix

Breaking Bad (2008 – 2013)

Breaking Bad

Trailer de Breaking Bad

Uma das mais aclamadas séries da última década transforma protagonista em vilão

Uma das mais queridas e celebradas séries da última década, Breaking Bad consolidou o conceito do protagonista anti-herói popularizado pela pioneira Família Soprano. A grande sacada do criador da série, Vince Gilligan, foi, ao longo de cinco temporadas, transformar o pacato professor de química Walter White (Bryan Cranston) em um traficante que passa por cima de tudo e de todos para ter o que quer. Quando descobre que está com câncer, White se junta a um ex-aluno problemático, Jesse Pinkman (Aaron Paul), para fabricar a melhor metanfetamina do mercado e assegurar um dinheiro para sua família. A partir daí, o espectador embarca em uma montanha russa de sentimentos que vai colocar à prova a sua empatia para com personagens que quase nunca são o que aparentam ser. 

Dois pelo preço de um: Família, crimes, problemas sem fim… Ozark foi muito comparada a Breaking Bad quando foi lançada.

Presta atenção, freguesia: No roteiro lindamente construído por Gilligan e na química incrível da dupla de protagonistas vividos por Bryan Cranston e Aaron Paul.

Assista na Netflix

Bridgerton (2021 – )

Bridgerton

Trailer de Bridgerton

Romance de época com representatividade e apimentadas cenas de sexo

Criada por Chris Van Dusen e produzida pela Shonda Rhymes – responsável por séries de sucesso como Grey’s Anatomy e Scandal – Bridgerton é quase um mashup de “romances de época” com elenco representativo e apimentado com cenas de sexo bem calientes.  Inspirada em uma série de livros da escritora Julia Quinn, a primeira temporada retrata os acontecimentos do primeiro volume, O Duque e Eu. Já a segunda, O Visconde que me Amava .

Os Bridgertons são uma família da alta sociedade londrina do início do século 19. A filha mais velha da família, Daphne (Phoebe Dynevor) acaba se envolvendo com o duque de Hastings (Regé-Jean Page) enquanto procura um marido, mas tem sua reputação manchada por Lady Whistledown (Julie Andrews).

Dois pelo preço de um: Outlander é outro drama histórico que você vai gostar muito, mas nem de longe tem o clima de intriga novelesco de Bridgerton.

Presta atenção, freguesia: No design de produção super caprichado e na representatividade do elenco. Algo bem raro em produções “de época”.

Assista na Netflix

Brooklyn Nine-Nine (2013 – 2021)

Brooklyn Nine-Nine

Trailer de Brooklyn Nine-Nine

Uma das comédias mais queridas do público nos últimos anos

Série flha de Dan Goor (produtor de Parks and Recreation) e Michael Shur (roteirista de Saturday Night Live), Brooklyn Nine-Nine é uma comédia ambientada em uma delegacia de polícia fictícia de Nova York que acompanha a evolução de Jake Peralta (Andy Samberg), um detetive bastante imaturo que acaba de ganhar um novo capitão: o rigoroso Raymond Holt (Andre Braugher). As temporadas abordam casos fechados a cada episódio, com eventos especiais que se conectam em uma grande e despretensiosa trama. [por Jessica Pinheiro]

Dois pelo preço de um: Continue dando boas risadas com The Good Place.

Presta atenção, freguesia: É impossível não cair na gargalhada com tudo que Andy Samberg faz.

Assista na Netflix

Cidade Invisível (2021 – )

Cidade Invisível

Trailer de Cidade Invisível

Os mitos do folclore brasileiro como você nunca viu

A série policial/fantasia mostra o folclore brasileiro como você nunca viu. Nela, Marco Pigossi é Eric, um policial ambiental que tenta descobrir uma misteriosa conexão entre a morte de sua esposa e a aparição de um boto-cor-de-rosa, um animal de água doce e natural da Amazônia, morto em uma praia no Rio de Janeiro. No meio da investigação ele acaba esbarrando em seres mágicos que achava ser apenas lendas.

Dois pelo preço de um: O Escolhido é outra série brasileira que segue esse estilo thriller do meio do mato made in Brasil.

Presta atenção, freguesia: É sempre muito legal ver nosso folclore, muitas vezes esquecido, sendo valorizado em uma produção de ótima qualidade e que faz uma mistura muito interessante de gêneros. 

Assista na Netflix

Coisa Mais Linda (2019 – )

Coisa Mais Linda

Trailer de Coisa Mais Linda

Se já não é fácil ser mulher no Brasil de 2022, imagine em 1959

No Rio de Janeiro de 1959, época em que a bossa nova – ritmo brasileiro que ganhou o mundo – dava seus primeiros passos, a história de quatro mulheres se cruzam. Malu (Maria Casadevall) é uma jovem paulistana de família rica que se muda para o Rio com o objetivo de abrir um restaurante com seu marido, mas que vê seus planos irem por água abaixo quando descobre que ele fugiu com outra mulher levando todo o seu dinheiro. Inspirada na figura “prafrentex” de Thereza (Mel Lisboa), na fortaleza da empregada doméstica Adélia (Pathy Dejesus) e no apoio da amiga de longa data Lígia (Fernanda Vasconcellos), ela decide transformar o restaurante em uma casa noturna com música ao vivo que é claro, a bossa nova. 

Dois pelo preço de um: Outra série bem legal com protagonismo feminino é a espanhola As Telefonistas.

Presta atenção, freguesia: No elenco, a grande força da série.

Assista na Netflix

Community (2009 – 2015)

Community

Trailer de Community

Prepare-se para o bombardeio de referências pop em episódios cheios de metalinguagem

Nascida de uma união entre Dan Harmon (de Rick e Morty) e os irmãos Anthony e Joe Russo (diretores dos filmes dos Vingadores), Community tem a cara desse casamento improvável. A série acompanha um grupo de estudantes de uma faculdade comunitária que se conhece em aulas de espanhol. A partir daí, somos bombardeados com um arsenal infinito de referências pop em episódios que usam e abusam da metalinguagem.

Dois pelo preço de um: Superstore é ótima para emendar com Community.

Presta atenção, freguesia: Não perca o episódio Cooperative Calligraphy, que brinca com o conceito do “episódio engarrafado”, Episódios que não se conectam diretamente com a trama geral da temporada e normalmente se passam em um só espaço confinado.  

Assista na Netflix

Dark (2017 – 2020)

Dark

Trailer de Dark

Série alemã de bugar o cérebro se transformou em um verdadeiro fenômeno cult da Netflix

A alemã Dark surpreendeu o mundo quando estreou na Netflix em dezembro de 2017. Mesmo com uma complexa trama de viagem no tempo envolvendo uma numerosa -e muitas vezes confusa- árvore genealógica com diversos personagens, se transformou em um verdadeiro fenômeno cult da plataforma. Na pequena cidade de Winden dos dias atuais, o desaparecimento de um garoto expõe os segredos e conexões ocultas entre quatro famílias locais, revelando uma sinistra conspiração que envolve até viagem no tempo. 

Dois pelo preço de um: O clima sisudo de Dark não tem nada a ver com Boneca Russa e pode parecer estranho indicar uma série mais cômica aqui, mas há coisas em comum entre as duas que vão além da questão de viagem/looping temporal. Pode acreditar.

Presta atenção, freguesia: Na trilha sonora e, claro, na trama em si, que exige muita atenção. Se piscar, você se perde.

Assista na Netflix

Fargo (2014 – )

Fargo

Trailer de Fargo

Série transforma filme dos irmãos Coen em uma sombria e engraçada saga caipira de crime

Muito fã do filme dirigido pelos irmãos Joel e Ethan Coen em 1996, Noah Hawley criou um tipo de mitologia de Fargo em formato de série. Nela, cada temporada tem um arco com começo, meio e fim -em linhas do tempo distintas- que se relacionam de alguma maneira com a região onde se passa o filme, entre os estados da Dakota do Norte e Minnesota, mantendo o clima sombrio e violento com alguns toques de humor de comédia de erros tão característicos das tramas dos Coen.

Dois pelo preço de um: Caso você ainda não tenha visto Breaking Bad, não tem erro. Se você curtiu Fargo, vai na fé.

Presta atenção, freguesia: Nas ligações entre as temporadas, que revelam detalhes que engrandecem ainda mais a construção desse universo de Fargo.

Assista na Netflix 

Inacreditável (2019)

Inacreditável

Trailer de Inacreditável

Duro drama policial baseado em série de reportagens conta com atuações poderosas

Baseada em uma série de reportagens vencedora do prêmio Pulitzer, a minissérie conta uma história realmente inacreditável, mas que infelizmente foi real.  A trama é dividida em duas linhas do tempo. Em 2008, a jovem Marie Adler (Kaitlyn Dever) foi estuprada em seu apartamento por um homem encapuzado. Ao ter de contar o que aconteceu várias e várias vezes para a polícia em uma tática usada justamente para confundir a vítima, ela acaba se contradizendo em alguns detalhes e passa a ser pressionada por policiais a admitir que estava mentindo.Já em 2011, duas policiais, Karen Duvall (Merritt Wever) e Grace Rasmussen (Toni Colette), acabam, por puro acaso, descobrindo que investigam casos de estupro com as mesmas características descritas por Marie em 2008. Idealizada por Susannah Grant (roteirista de Erin Brockovich – Uma Mulher de Talento), a produção joga luz a um assunto necessário e extremamente incômodo: as dificuldades encontradas pelas vítimas de estupro na busca por justiça.

Dois pelo preço de um: Não será uma maratona das mais fáceis, já que tratam de assuntos pesados e opressores, mas se você gostou de Inacreditável, Nada Ortodoxa vai mexer com você também.

Presta atenção, freguesia: No trio de atrizes Kaitlyn Dever, Toni Colette e Merritt Wever. Todas estão excelentes.

Assista na Netflix

Inventando Anna (2022)

Cena da série Inventando Anna

Trailer da minissérie Inventando Anna

Anna Delvey enganou a elite da elite endinheirada de Nova York

Apenas com um guarda-roupa fashion, memória fotográfica, bom gosto para vinhos e atitude, a jovem Anna Delvey enrolou o mais fino da elite endinheirada de Nova York. Até que, claro, acabou atrás das grades. Essa é a história da minissérie criada pela toda poderosa Shonda Rhimes (também produtora e roteirista de Bridgerton, Grey’s Anatomy, Scandal e How to Get Away with Murder). Interpretada pela excelente Julia Garner, Delvey se apresentava como uma nobre alemã e, por algum tempo, curtiu do bom e do melhor da high society novaiorquina. Mas, na realidade, ela era apenas uma garota russa bem esperta chamada Anna Vadimovna Sorokina. Filha de um motorista de caminhão e da dona de uma loja de conveniência que emigrou, ainda criança, para a Alemanha.

Dois pelo preço de um: A minissérie documental De Rainha do Veganismo a Foragida retrata outro escândalo cheio de detalhes bizarros em Nova York.

Presta atenção, freguesia: Na incrível atuação de Julia Garner como Ana Delvey.

Assista na Netflix

La Casa de Papel (2017 – 2021)

La Casa de Papel

Trailer de La Casa de Papel

A inesperada série espanhola que tomou o mundo de assalto

A Netflix adicionou a série espanhola em seu catálogo sem muito alarde, em maio de 2017. Mas não demorou muito para que La Casa de Papel se transformasse em um dos títulos mais bem-sucedidos da plataforma. É uma série que conta a história de um bando de ladrões identificados apenas por nomes de capitais que seguem um plano genial para imprimir mais de 2 bilhões de euros de dentro da Casa da Moeda da Espanha conquistou corações e mentes no mundo todo. Especialmente aqui no Brasil. Mas, também, que brasileiro resiste a uma trama rocambolesca salpicada de melodrama, ação e romance? 

Dois pelo preço de um: É difícil alguém no planeta Terra ainda não ter visto Round 6, mas caso você seja uma dessas pessoas e adore La Casa de Papel. Fica a dica.

Presta atenção, freguesia: Nas milhares de reviravoltas na história, ainda mais malucas que os planos do Professor.

Assista na Netflix

Maid (2021)

Maid

Trailer de Maid

Série consegue extrair momentos inspiradores de história marcada por abusos

Minissérie baseada no livro de memórias de Stephanie Land, lançado no Brasil com o título Superação: Trabalho Duro, Salário Baixo e o Dever de Uma Mãe Solo, Maid conta a história de Alex (Margaret Qualley), uma jovem mãe que se dedica a fazer de tudo para criar sozinha sua filha de 3 anos depois de fugir de seu namorado abusivo. O que mais surpreende é que mesmo tratando de assuntos bem pesados, como violência doméstica, alcoolismo e pobreza, a criadora e roteirista Molly Smith Metzler (de Orange Is the New Black) consegue extrair momentos inspiradores e até engraçados dessa experiência.

Dois pelo preço de um: Outra maratona pesada, mas Maid e Inacrediável chegam até a complementar a história uma da outra.

Presta atenção, freguesia: No roteiro de Molly Smith Metzler e na interação entre Alex e sua mãe Paula, interpretadas por Margaret Qualley e Andie MacDowell, que são filha e mãe na vida real.

Assista na Netflix

Mindhunter (2017 – 2019)

Mindhunter

Trailer de Mindhunter

Fascinante e assustadora, série mergulha fundo na mente dos serial killers

No tenso thriller policial/terror capitaneado por David Fincher (diretor de Seven – Os Sete Crimes Capitais e Zodíaco), Holden Ford (Jonathan Groff) e Bill Tench (Holt McCallany) são dois agentes do FBI que lutam por mais visibilidade à Unidade de Ciência Comportamental no final dos anos 1970. Esse departamento traça, por meio da análise de assassinos, perfis que ajudarão futuras investigações. Para isso, a dupla – com a consultoria da psicanalista Wendy Carr (Anna Torv) – entrevista os mais temidos assassinos em série da época. O problema é que os métodos de Holden o faz se aproximar demais da psique desses indivíduos extremamente manipuladores e perigosos.

Dois pelo preço de um: Pirou nessa coisa de “caminhos da mente”? Assim como Mindhunter, The Sinner também tem essa pegada de thriller psicológico. 

Presta atenção, freguesia: Na caracterização assombrosamente precisa de serial killers famosos, como Charles Manson, David Berkowitz, Wayne Williams e Dennis Rader.

Assista na Netflix

Missa da Meia-Noite (2021)

Missa da Meia-Noite

Trailer de Missa da Meia-Noite

Mike Flanagan surpreende mais uma vez ao subverter convenções do terror

Após uma ótima sequência de séries de horror, com A Maldição da Residência Hill (2018) e A Maldição da Mansão Bly (2020), o cineasta Mike Flanagan retornou à Netflix com a minissérie Missa da Meia-Noite (2021). Mesmo que este seja um projeto mais ambicioso em vários sentidos, ele segue o padrão do diretor, ou seja, o terror sobrenatural – que quase sempre é parte essencial de suas histórias – nunca se sobrepõe aos horrores da vida real. 

A história começa com Riley Flynn (Zach Gilford) retornando à pequena Ilha Crockett depois de ficar quatro anos preso por atropelar e matar uma mulher. Lá, ele encontra a comunidade de pescadores devastada por um vazamento de óleo que acabou com a economia local. Mas a chegada do jovem padre Paul (Hamish Linklater) -que substitui o idoso e doente clérigo local, Monsenhor Pruitt- trará uma nova esperança aos moradores. Só que, mesmo bem-intencionado, o padre leva um tenebroso mal ao local.

Dois pelo preço de um: A Maldição da Mansão Bly é um terror mais classicão que Missa da Meia-Noite, mas não deixa de ser outro trabalho muito bom do mesmo diretor: Mike Flanagan. 

Presta atenção, freguesia: Na virada totalmente inesperada que acontece no meio da temporada. 

Assista na Netflix

Monty Python’s Flying Circus (1969 – 1974)

monty python

Ainda inovadora, série da trupe do Monty Python's Flying Circus revolucionou a comédia.

Divulgação

Clássico dos clássicos entre as séries de comédia, Monty Python’s Flying Circus traz alguns dos mais históricos esquetes da TV mundial. O grupo formado por Graham Chapman, John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Terry Jones e Michael Palin simplesmente revolucionou a comédia com seu estilo cheio de non sense, anarquia e referências históricas. A série foi o grande trampolim para o grande sucesso do grupo no cinema, com filmes como Monty Python em Busca do Cálice Sagrado (1975) e A Vida de Brian (1979). Ambos disponíveis na Netflix. 

Dois pelo preço de um: Assim como Monty Python, Seinfeld faz parte do cânone da comédia na TV. Duas séries obrigatórias.

Presta atenção, freguesia: Em esquetes históricos como o do Nudge, Nudge, da canção do lenhador, da piada mortal e do papagaio morto.

Assista na Netflix

Nada Ortodoxa (2020)

Nada Ortodoxa

Trailer de Nada Ortodoxa

Minissérie alemã abre as portas de um mundo desconhecido para muita gente

Baseada nas memórias da escritora judia Deborah Feldman, a minissérie alemã faz um surpreendente retrato de uma radical comunidade judaica ortodoxa em Nova York mostrando seus costumes e tradições por meio da história da jovem Esther (Shira Haas). Obrigada a se casar contra sua vontade, ela foge para Berlim – onde vive sua mãe, que também escapou dessa mesma comunidade – para buscar o sonho de ser pianista.

Dois pelo preço de um: Conheça mais sobre os judeus ortodoxos em Shtisel.  

Presta atenção, freguesia: Na excelente atuação da novata Shira Haas.

Assista na Netflix

O Gambito da Rainha (2020)

O Gambito da Rainha

Trailer de O Gambito da Rainha

Você nunca mais vai enxergar o xadrez como antes de assistir a essa premiada minissérie

Um dos maiores sucessos da Netflix nos últimos anos, a minissérie baseada no best seller de Walter Tevis conta a história de Beth Harmon (Isla Johnston quando criança e Anya Taylor-Joy na versão jovem), uma menina que fica órfã após um trágico acidente de automóvel na década de 1950. Após anos vivendo em um orfanato, onde descobre o xadrez e o vício em calmantes, ela é adotada. Sua nova mãe, que é alcoólatra e também viciada em calmantes, passa a apoiar a participação de Beth em torneios, pois os prêmios são bem polpudos.. Ao longo de sua ainda curta carreira, Beth, a única mulher em um ambiente basicamente masculino, vai derrotando os adversários com facilidade até que se depara com o campeão mundial do esporte, o soviético Vasily Borgov, (que faz alusão ao campeão real, o russo Garry Kasparov) que parece ser imbatível. A série foi muito bem avaliada em todo o mundo.

Dois pelo preço de um: The Crown pode não ter tanto em comum com relação ao xadrez, mas além de ambas as séries terem um rainha essencial para a trama, elas retratam muito bem a década de 1960.

Presta atenção, freguesia: Em Anya Taylor-Joy, que rouba o show.

Assista na Netflix

Olhos que Condenam (2019)

Olhos que Condenam

Trailer de Olhos que Condenam

Dura, mas necessária, minissérie de Ava DuVernay é um soco no estômago

Baseada no caso real de cinco jovens injustamente condenados pelo estupro de uma mulher que corria no Central Park, em Nova York, em 1989, Olhos que Condenam é uma minissérie perturbadora. Primeiro ao mostrar o quanto a polícia e a justiça americana são parciais e injustas ao perseguir e julgar negros e hispânicos por meio de um sistema claramente racista, e segundo por mostrar a mentira que é a tentativa de ressocialização de ex-presidiários, que depois de presos, não conseguem mais qualquer chance de ter uma vida decente, pois a própria sociedade é ensinada a não aceitá-los.

Dois pelo preço de um: Outra série que denuncia os absurdos do racismo é Black Earth Rising, uma joia escondida no catálogo da Netflix que é pouco falada.

Presta atenção, freguesia: No talento da cineasta Ava DuVernay, que assina a direção de todos os episódios.

Assista na Netflix

Outlander (2014 – )

Outlander

Trailer de Outlander

Viagem no tempo e romance se combinam em drama histórico viciante

Com uma trama que mistura romance e drama histórico, Outlander virou um cult já em sua primeira temporada, em 2014. Nela, a inglesa Claire Randall (Caitriona Balfe) é uma enfermeira que, durante a Segunda Guerra Mundial, se reencontra com seu marido Frank para fazer uma viagem à Escócia. Por conta de um estranho fenômeno, ela é transportada ao ano de 1743, durante os levantes jacobitas, uma série de rebeliões que tinham por objetivo, reconduzir Jaime II para o trono, do qual foi deposto pelo Parlamento inglês durante a Revolução Gloriosa. Nesse ambiente, ela conhece o jovem guerreiro escocês Jamie Fraser (Sam Heughan), antepassado de Frank, por quem ela se apaixona.

Dois pelo preço de um: O Último Reino é outro drama histórico de primeira.

Presta atenção, freguesia: Na precisa caracterização e reprodução de eventos históricos.

Assista na Netflix

Ozark (2017 – 2022)

Cena da série Ozark

Trailer de Ozark

Sombria reflexão sobre o quanto o dinheiro e poder pode corromper

Os Byrdes e seus filhos adolescentes são, para todos os efeitos, uma família comum. Exceto pelo trabalho de Marty (Jason Bateman), um consultor financeiro de Chicago que também atua como o principal responsável pela lavagem de dinheiro do segundo maior cartel de drogas do México. Quando as coisas dão errado com seu sócio, Marty foge e se muda com a família para a afastada região dos lagos Ozark, no Missouri. Lá, ele e sua esposa Wendy (Laura Linney) se metem em tudo quanto é tipo de problema com criminosos locais e revelam que estão dispostos a tudo para proteger sua família e ascender no mundo do crime. 

Dois pelo preço de um: Narcos: México e Ozark nasceram uma para a outra.

Presta atenção, freguesia: Em Jason Bateman, que surpreende em um papel “sério”, na sempre competente Laura Linney e na revelação Julia Garner como a desbocada Ruth Langmore.

Assista na Netflix

Peaky Blinders – Sangue, Apostas e Navalhas (2013 – 2022)

Peaky Blinders

Trailer de Peaky Blinders

Violentíssimo drama sobre gangues na Inglaterra do começo do século 20

Violenta, cruel e extremamente cool, Peaky Blinders é o nome de uma famosa gangue do séc 19, natural da cidade industrial de Birmingham, região central da Inglaterra. Conhecidos por suas vestimentas impecáveis e métodos brutais, os Peaky Blinders dominaram as atividades criminosas daquela área até aos anos 1930. Seu reinado de terror em Birmingham ficou tão marcado, que o termo “peaky blinder” virou sinônimo para qualquer tipo de gangue. Estrelada pelo excelente ator irlandês Cillian Murphy, a série conta a história dos Shelby, uma família de criminosos que controla um esquema ilegal de apostas em corridas de cavalos logo após a Primeira Guerra Mundial. Tente não ficar arrepiado logo na abertura do primeiro episódio, quando toca Red Right Hand, hino sinistro de Nick Cave e seus Bad Seeds.

Dois pelo preço de um: Suburra: Sangue em Roma é outro prato cheio para quem adora uma série de máfia.

Presta atenção, freguesia: No figurino, nas atuações da saudosa Helen McCrory, na participação de Anya Taylor-Joy e na de Tom Hardy, como um mafioso judeu e, claro, no carisma de Cillian Murphy

Assista na Netflix

Round 6 (2021 – )

Round 6

Trailer de Round 6

Maior fenômeno da Netflix, série coreana foi um dos principais assuntos de 2021

Em poucas semanas desde sua estreia, Round 6 bateu todos os recordes de audiência da história da Netflix, tornando-se a produção mais assistida da plataforma no mundo. O segredo desse sucesso estrondoso não é uma novidade para quem está acostumado às produções sul-coreanas: mesclar de maneira fluída diversos gêneros. É exatamente isso que Round 6 faz ao contar a história de Seong Gi-hun (Seong Gi-hun), um viciado em jogo atolado em dívidas que acaba sendo convidado a participar de um jogo secreto com um prêmio milionário. Chegando no local da competição, ele percebe que terá de superar diversos adversários, todos desesperados por dinheiro como ele. O problema é que apenas um deles sairá de lá vivo.

Dois pelo preço de um: Ficou curioso para ver mais séries coreanas? Não deixe de ver My Name.

Presta atenção, freguesia: Na cenografia super colorida e no grupo de personagens cativantes.

Assista na Netflix

Seinfeld (1989 – 1998)

Seinfeld

Cena da série Seinfeld

O "show sobre o nada" que nos faz rir de absolutamente tudo

Produção que revolucionou a boa e velha sitcom, a série sobre o nada que falava sobre tudo experimentou com todo tipo de narrativa estranha a esse formato, colocando temas tabu com um humor cínico nunca antes visto na TV americana. Criada pelos comediantes Jerry Seinfeld e Larry David, a série sobre um grupo de amigos cheios de manias que vivem em Nova York se transformou em ícone da cultura pop, construindo todo um universo de frases de efeito e personagens marcantes que passou a servir de referência para diversas outras séries e artistas.

Dois pelo preço de um: Arrested Development bebe muito na fonte de Seinfeld.

Presta atenção, freguesia: Se for para escolher um episódio, não deixe de ver The Contest, o 11º da quarta temporada. Histórico.

Assista na Netflix

Sex Education (2019 – )

Cena da série Sex Education

Trailer de Sex Education

Série teen inglesa brinca com sexualidade sem pudores

Um dos maiores fenômenos da Netflix, a comédia teen surpreendeu todo mundo por abordar assuntos sensíveis como sexualidade e diversidade com muita leveza e bom humor. A produção inglesa apresenta Otis Milburn (Asa Butterfield), um garoto de 16 anos que sofre com ataques de pânico toda vez que tenta se masturbar. Por ser filho de uma terapeuta sexual, ele é convencido por uma amiga a dar conselhos sobre o assunto para colegas da escola. Mas, claro, ele não está pronto para tudo o que vai acontecer por conta disso…

Dois pelo preço de um: The End of the F***ing World é um tipo de versão dark de Sex Education. Por mais maluco que isso possa parecer. Veja e tire suas conclusões.

Presta atenção, freguesia: No elenco jovem. Todos muito bons.

Assista na Netflix

Special (2019 – 2021)

Cena da série Special

Trailer de Special

Ryan O´Connell derruba preconceitos com humor nessa série sobre um jovem gay PSD

É fácil ignorar os aspectos mais inovadores de Special, mas o talento de Ryan O´Connell -criador e protagonista da série- subverte qualquer preconceito. Nela, ele é Ryan, um jovem gay de 28 anos com paralisia cerebral que durante anos tentou esconder quem realmente era, mas que decidiu encarar a vida de frente e, como ele mesmo diz, “sair desses dois armários”. Mas não espere nada dramático. O’Connell retrata tudo com muita leveza e humor.

Dois pelo preço de um: Please Like Me é outra excelente e divertida série com temática LGBTQIA+.

Presta atenção, freguesia: No talento de Ryan O´Connell, que praticamente faz tudo na série.

Assista na Netflix

Stranger Things (2016 – )

Cena da série Stranger Things

Trailer de Stranger Things

Série consolidou a onda nostálgica dos anos 1980 que virou tendência

Uma das mais populares séries da Netflix, a base da trama de Stranger Things é a existência de um mundo paralelo sombrio chamado de Mundo Invertido. Tudo começa quando o pequeno Will (Noah Schnapp) acaba preso nele e seus melhores amigos Mike (Finn Wolfhard), Dustin (Gaten Matarazzo) e Lucas (Caleb McLaughlin) – com a ajuda da misteriosa Eleven (Millie Bobby Brown) – tentam trazê-lo de volta. 

Passado em uma cidadezinha do interior dos EUA na década de 1980, a série criada pelos irmãos Matt e Ross Duffer emula todo um universo de referências pop oitentistas, de Stephen King a Os Caça-Fantasmas. Tudo com muita aventura, humor, drama e sustos.

A quarta temporada estreia em maio de 2022.

Dois pelo preço de um: Mantenha o clima de nostalgia lá no alto com Riverdale.

Presta atenção, freguesia: No clima nostálgico e suas inúmeras referências pop da década de 1980.

Assista na Netflix

The Crown (2016 – )

The Crown

Trailer de The Crown

Quem resiste às fofocas da realeza britânica no reinado de Elizabeth II?

Joia da coroa da Netflix, The Crown é uma das produções mais premiadas da plataforma. Escrita por Peter Morgan, roteirista do filme A Rainha (2006), a série é uma biografia da rainha Elizabeth II que vai desde o seu casamento com Philip, Duque de Edimburgo, em 1947, até o início dos anos 2000. Ou seja, espere inúmeras intrigas palacianas recheadas de segredos privados de personalidades históricas e dramas, muitos dramas. Com uma produção extremamente caprichada, The Crown ainda conta com um elenco estelar, com nomes como Claire Foy, John Lithgow, Vanessa Kirby, Olivia Colman, Helena Bonham Carter, entre muitos outros.

Dois pelo preço de um: Intrigas palacianas são o seu arroz com feijão? Coloque um temperinho nessa mistura com Bridgerton.

Presta atenção, freguesia: em Claire Foy e Olivia Colman, que arrasam como a rainha em duas fases de sua vida e nos fenômenos John Lithgow como Winston Churchill e Gillian Anderson, como Margareth Tatcher, a Dama de Ferro.

Assista na Netflix

The Good Place (2016 – 2020)

The Good Place

Trailer de The Good Place

Série que te faz rir e ainda traz algumas questões filosóficas bem legais

Não se engane com a vibe “bobinha” dos primeiros episódios de The Good Place. Mesmo sendo uma comédia até leve, a série traz alguns questionamentos filosóficos bem interessantes. Nela, Eleanor Shellstrop (Kristen Bell) é enviada a um tal Good Place (um tipo de céu) depois que morre. Lá, as pessoas encontram suas almas gêmeas para viver felizes por toda a eternidade. Porém, ela foi mandada para lá por engano e fará de tudo para não ser despachada ao temido Bad Place.

Dois pelo preço de um: Ficou com gostinho de quero mesmo assim que terminou The Good Place. Caso ainda não tenha visto, não deixe Unbreakable Kimmy Schmidt passa em branco.

Presta atenção, freguesia: No roteiro super esperto.

Assista na Netflix

The OA (2016 – 2019)

The OA

Trailer de The OA

Não espere nada além do inesperado nessa série esquisita que merecia mais carinho

Projeto da vida do casal Brit Marling e Zal Batmanglij, a inclassificável The OA estreou perto do Natal de 2016 como uma bomba. Sua trama estranhamente fascinante chamou a atenção de todo mundo na base da curiosidade. Nela, Prairie, também chamado de OA, ou Anjo Original, é uma jovem cega que reaparece em sua cidade natal enxergando normalmente depois de quase uma década desaparecida. Nesse período sumida, ela foi sequestrada por um cientista para participar de um experimento envolvendo outras dimensões. De volta, ela se aproxima de um grupo de adolescentes e tenta ensinar a eles um tipo de dança multidimensional. A história parece maluca? Então prepare-se para a segunda – e, infelizmente, última -temporada, em que a fantasia se mescla com a realidade em uma narrativa recheada de metalinguagem.

Dois pelo preço de um: Junto com The OA, Sense8 é outra série de ficção científica amalucada e cheia de estilo que não recebeu o carinho que merecia por parte da Netflix.

Presta atenção, freguesia: Nas maluquices criadas por Brit Marling e Zal Batmanglij.

Assista na Netflix

The Umbrella Academy (2019 – )

Cena da série The Umbrella Academy

Trailer de The Umbrella Academy

Espere muitos super-heróis, DRs familiares e esquisitices

Baseada em uma premiada minissérie de quadrinhos escrita pelo ex-vocalista da banda My Chemical Romance, Gerard Way, e desenhada pelo brasileiro Gabriel Bá (das HQs 10 Pãezinhos e Daytripper), The Umbrella Academy conta a história de uma família disfuncional formada por crianças com poderes especiais. Funciona mais ou menos como uma mistura de trama de super-heróis com programas de auditório sensacionalistas estilo Casos de Família. A série se passa em uma realidade paralela bem parecida com a nossa, mas com algumas particularidades históricas, tecnológicas e visuais. Nela, um grupo desfeito de super-heróis criados como irmãos investiga a morte de seu mentor/pai enquanto lida com o iminente fim do mundo.

Dois pelo preço de um: Nessa pegada de super-heróis diferentões, Legion é uma excelente pedida.

Presta atenção, freguesia: Na ótima adaptação para a televisão dos quadrinhos de Way e Bá.

Assista na Netflix

Twin Peaks: O Retorno (2017)

Twin Peaks: O Retorno

David Lynch e Laura Derno em cena incrível e inclassificável Twin Peaks: O Retorno.

Divulgação

Continuação tardia da série encerrada em 1991, Twin Peaks: O Retorno também marcou a volta do genial cineasta David Lynch ao projeto. Ele, aliás, não economiza no surrealismo para tentar “explicar” o que aconteceu com o agente do FBI Dale Cooper (Kyle MacLachlan) no desenrolar das investigações sobre o assassinato da jovem Laura Palmer (Sheryl Lee). Não espere nada lógico. A série é praticamente uma experiência sensorial. Em apenas um episódio você pode encarar uma cena de terror surrealista assustadora, uma piada totalmente inesperada, tensão de roer as unhas, melodrama novelesco e acontecimentos sobrenaturais.

Dois pelo preço de um: Nada pode ser comparado ao estilo todo particular de Twin Peaks, mas, guardadas as devidas proporções, Mindhunter acompanha muito bem.

Presta atenção, freguesia: No estilo inconfundível e indecifrável de David Lynch e do roteirista Mark Frost. E no episódio 8, uma obra-prima bizarra que vai ficar na sua cabeça por muito tempo.  

Assista na Netflix

Vikings (2013 – 2020)

Vikings

Trailer de Vikings

Produção que iniciou a onda de séries sobre vikings continua sendo a melhor do gênero

Na esteira do sucesso de Game of Thrones, diversos canais começaram a produzir dramas históricos e/ou aventuras de fantasia aos montes. Entre todas elas, uma das que mais se destacou foi Vikings, uma co-produção irlandesa/canadense do History Channel que surpreendeu todo mundo com personagens carismáticos e ótima reprodução da época em que se desenrola sua trama. Baseado em fatos reais, mas com muita romantização no meio, conta a história de  Ragnar (Travis Fimmel),um dos primeiros vikings a comandar as invasões bárbaras à Europa. 

Dois pelo preço de um: Ainda não cansou de tantos vikings? Então toma mais viking! Em Norsemen o que não falta é viking. 

Presta atenção, freguesia: Na reprodução rica em detalhes dos costumes e tradições vikings. 

Assista na Netflix

Leia mais:

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Rafael Argemon

Rafael Argemon

Rafael Argemon é criador do perfil O Cara da Locadora no Instagram e também assina uma coluna com o mesmo nome na Tangerina, onde indica as pérolas escondidas nas plataformas de streaming. Cinéfilo e maratonador de séries profissional, passou por Estadão, R7, UOL, Time Out e Huffpost. Apaixonado por pugs, sagu e jogos do Mario.

Ver mais conteúdos de Rafael Argemon

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal