MÚSICA

Foto da cantora Anitta com figurino vermelho para o clipe de Boys Don't Cry

Divulgação/Gabriela Schmidt

Lista

De Anitta a Cardi B, conheça os discos mais esperados de 2022

IZA, Camila Cabello, Chico Buarque e Kendrick Lamar também estão na agenda de álbuns mais aguardados do ano, junto com lançamentos póstumos de Elza Soares

Luccas Oliveira

Luccas Oliveira

A expectativa para 2022 é de agenda cheia de discos esperados. Afinal, a pandemia de Covid-19 fez com que muitos artistas adiassem a gravação de músicas, antecipassem outros projetos ou focassem nas lives e na saúde mental. Chegou a hora de botar essas músicas na praça, nos palcos e nas pistas.

A Tangerina preparou uma lista fresquinha com os álbuns mais esperados de 2022, nacionais e internacionais. A seleção e as datas de lançamento serão atualizadas a cada novo anúncio. Ela engloba os álbuns que já saíram, os que foram confirmados pelos artistas e/ou por fontes seguras, e também aquelas pistas quentes, quase pelando.

Vale lembrar, sempre, que o lançamento surpresa tem sido uma tática adotada por artistas há algum tempo. Beyoncé, por exemplo, não está na lista abaixo, mas adora surpreender os fãs. 

Marque na agenda: os shows mais esperados que vão passar pelo Brasil em 2022

Desde já, dá para cravar que não ficaremos sem música boa para embalar os próximos meses! Concorda?

Os discos internacionais mais aguardados de 2022

Já saiu:

The Weeknd – Dawn FM – 7 de janeiro

No primeiro disco esperado do ano que efetivamente saiu, o cantor e compositor canadense The Weeknd aprimorou sua releitura do pop dançante da década de 1980, dando sequência a um estilo particular que iniciou em Starboy e seguiu em After Hours. A diferença, aqui, é que Dawn FM é um álbum muito mais coeso. 

Formatado como uma rádio transmitida direto do purgatório (e apresentada por Jim Carrey), Dawn FM tem The Weeknd cantando como nunca, participações de Tyler, the Creator, Lil Wayne, Quincy Jones e Swedish House Mafia, além de citações e referências ao city pop japonês, R.E.M., Angelina Jolie, Prince e The Romantics. Se o Grammy não sabe valorizar o trabalho de The Weeknd, azar do Grammy. 

The Weeknd caprichou na maquiagem para parecer mais velho no clipe de Gasoline

Veja o clipe de Gasoline, de The Weeknd

Canção está no álbum Dawn FM

Mitski – Laurel Hell – 4 de fevereiro

Rotulada pelo jornal britânico The Guardian como a melhor compositora jovem dos Estados Unidos, Mitski fez jus ao status em Laurel Hell. Melhor pode soar forte, mas a nipo-americana é, sem dúvida, um dos nomes mais inventivos do rock contemporâneo. O caminho da renovação do gênero deve passar por sua noção de abordar canções como se fossem viagens. Nelas, Mitski tem tesão de explorar novidades e conhecer novas culturas, mas não deixa de manter o pé firme no território seguro de uma melodia certeira e dos versos afiados.

Laurel Hell até te convida a dançar diversas vezes, em especial na melhor faixa do disco, Love Me More. São esses momentos que fazem deste o álbum mais pop de Mitski, dentro do que ela consegue ser pop. Até porque volta e meia, dotada de um vozeirão que chamou atenção até de Mariah Carey, Mitski não se priva de te puxar para baixo, como uma ressaca do dia seguinte. Isso fica claro em bad trips como Everyone e I Guess. Afinal, até uma viagem de férias pode ter suas turbulências.

Vai ser curioso observar a reação dos fãs de Harry Styles quando Mitski abrir alguns shows da próxima turnê mundial do astro pop.

Black Country, New Road – Ants From Up There – 4 de fevereiro

O grupo britânico estava fazendo tudo certo. Estreou criando expectativas com o ótimo For the First Time, recebeu da crítica o rótulo de salvador do rock, e passou pela prova do segundo disco. Ants From Up There é ainda melhor do que a estreia. O problema é que tão logo o álbum saiu, o vocalista Isaac Wood, fundamental por uma voz excêntrica que remete ao estilo de David Byrne, anunciou que estava saindo da banda para cuidar da saúde mental. O grupo segue sem ele, agora um sexteto, mas o futuro é um mistério.

O fato é que a obra está aí. Ants From Up There é o resultado perfeito do que um disco de rock experimental deveria ser para chamar atenção dos zennials. A alternância de protagonismo entre cada faixa envolve o ouvinte. Chaos Space Marine, por exemplo, cria uma espécie de competição entre o piano, as cordas e os metais para ver quem chama mais a atenção. Por cima, está a voz de Wood e coros que remetem tanto ao rock de arena do The Killers quanto ao barroco do My Chemical Romance. Ainda assim, se fosse rotular, daria para dizer que é uma música de jazz.

Tudo parece grandioso mas sob controle. É um disco que merece ser escutado diversas. Até quando a banda flerta com o grunge em Good Will Hunting e Basketball Shoes ela escapa do saudosismo e da cafonice. Enfim, quando alguém te falar que rock bom era o que faziam até 1980, mostre esse disco.

Big Thief – Dragon New Warm Mountain I Believe You – 11 de fevereiro

O quarteto do Brooklyn é um dos mais prolíficos da música americana atual. Nos últimos cinco anos, seus integrantes lançaram sete discos. Se em 2019 a banda liderada pela habilidosa vocalista Adrianne Lenker soltou dois álbuns, agora ela facilitou o processo com um álbum duplo. Dragon New Warm Mountain I Believe You não tem apenas um título enorme. São 20 faixas divididas em 1h20, mas pode ir na fé.

Harpa? Tem. Acordeon? Também. Guitarras para todos os gostos? Opa. O que não tem é falha. E tudo está em seu devido lugar. O Big Thief é a banda certa para você deixar de bocejar quando ler que o indie folk existe. As melodias e arranjos contemplativos contrastam com a lírica peculiar de Lenker, que opta por se mostrar curiosa com o mundo ao seu redor, quase como se Neil Young nascesse em 1991 e mulher.

Avril Lavigne – Love Sux – 25 de fevereiro

Se em 2021 o revival do pop punk veio com tudo, Avril Lavigne está surfando nessa nova onda com maestria. Confirmada como headliner do Palco Sunset no Rock in Rio —no mesmo dia do Green Day—, a princesa do punk apresenta colaborações com Machine Gun Kelly, Mark Hoppus (do Blink-182) e blackbear no novo disco. Sem qualquer receio de resgatar a sonoridade que movia as rádios no início dos anos 2000, Avril parece se divertir, ao lado dos amigos “popunkzeiros”, durante as 12 faixas. Todas, inclusive, nos lembram um pouquinho de enredos clássicos de comédias românticas. Guitarras birrentas, baterias impositivas e a energia jovial movem Love Sux. É um ótimo mergulho nostálgico para todes que viveram o comecinho da febre dos lápis pretos nos olhos e calças xadrez.

Vem

Cardi B – data e título a confirmar

Tudo é muito imprevisível (e espetaculoso) quando se trata de Cardi B, mas a rapper anunciou em uma live no Instagram, em dezembro, que o sucessor de Invasion of Privacy (2018) está previsto para sair em 2022. Desde a estreia, a americana só cantou em hits: WAP (com Megan Thee Stallion), Rumours (com Lizzo) e Wild Side (com Normani). Por isso, é um disco muito esperado.

Camila Cabello – Familia – 8 de abril

Camila Cabello, confirmada no Rock in Rio 2022, botou o mundo para dançar em 2021 com o single Don’t Go Yet, que presta homenagem às raízes musicais da estrela nascida em Cuba. Cabello revelou que o novo disco teve como inspiração sua família, claro, mas também o amor pelos amigos e pela culinária. Promete ser bom para ouvir com um refresco de tangerina!

Red Hot Chili Peppers – Unlimited Love – 1º de abril

Os elementos para o sucesso estão reunidos, o que faz os Chili Peppers voltarem a ter um disco esperado pelo público: fundamental em álbuns históricos como Californication e By the Way, o guitarrista John Frusciante voltou à banda, assim como o produtor Rick Rubin, que tirou uma folga no último disco, The Getaway, de 2016. Lançado em fevereiro, o primeiro single, Black Summer, deixou a expectativa dos fãs atiçada —com razão.

Captura de tela do clipe de Black Summer, dos Red Hot Chili Peppers

Assista ao vídeo de Black Summer, dos Chili Peppers

Clipe marcou o retorno do guitarrista John Frusciante

Arcade Fire – WE – 6 de maio

Produzido por Nigel Godrich, Win Butler e Règine Chassagne, o novo disco do Arcade Fire chega no dia 6 de maio, pela Columbia Records. Para adiantar os fãs, o grupo lançou um clipe para The Lightning I, II, dirigido por Emily Kai Bock.

Trecho do clipe do Arcade Fire

Assista ao clipe de The Lightning I, II,

Recentemente o grupo fez um show beneficente nos EUA para arrecadar fundos para a guerra na Ucrânia

O álbum terá 40 minutos de duração e será dividido em dois lados, como um LP. A primeira parte tratará questões sobre o isolamento e a segunda vai explorar a reconexão. Esse é o primeiro lançamento do Arcade Fire desde o Everything Now, de 2017.

A promessa de um novo disco existe desde 2020, mas eles acabaram tocando outros projetos paralelos enquanto produziam o registro. Uma música de 45 minutos para o Head Space, foi um deles. No início de março, o grupo se apresentou em Nova Orleans, nos Estados Unidos para arrecadar fundos para organizações que ajudam o povo ucraniano, que tem sofrido com a invasão russa.

Arctic Monkeys – data e título a confirmar

Baterista da banda, Matt Helders agitou os fãs ao anunciar em novembro passado que o sétimo álbum de estúdio do Arctic Monkeys estava praticamente finalizado. Segundo ele, a expectativa é que o trabalho saia no primeiro semestre de 2022. O disco teria sido parcialmente gravado em Suffolk, uma cidadezinha da Inglaterra.

Paramore – data e título a confirmar

Depois de lançar um disco solo (Petals for Armor, em 2020), a frontwoman Hayley Williams volta a focar na banda que a consagrou e, aparentemente, no instrumento que marcou o sucesso inicial do Paramore: a guitarra. Não é exatamente um retorno ao emo, pontuou a revista NME, mas o próximo álbum terá muitas guitarras marcantes. 

Kendrick Lamar – data e título a confirmar

Cinco anos se passaram desde DAMN., o último disco do rapper Kendrick Lamar. Misterioso e pouco afeito às redes sociais, o californiano nunca confirmou oficialmente que vai lançar um novo álbum, mas produtores que trabalham com ele, como Sounwave, já deram algumas dicas. Tudo indica que agora vai.

Lizzo – data e título a confirmar

Em agosto de 2021, Lizzo apresentou o single Rumours, parceria com Cardi B, acompanhado por um clipe que trazia visuais exuberantes, inspirados na Grécia Antiga. Desde então, ela dá dicas sobre uma nova era nas redes sociais. 

Muse – data e título a confirmar

Com uma discografia marcada por altos e baixos, o trio de rock britânico voltou ao estúdio para gravar o sucesso do futurista Simulation Theory (2018). O primeiro single, Won’t Stand Now, aponta para um som pesado, distópico e apocalíptico, que pode dar o tom do novo disco. O frontman Matt Bellamy disse à revista NME que gosta “da ideia de se reinventar totalmente e voltar para onde viemos”.

Rosalía – MOTOMAMI – 18 de março

A popstar catalã Rosalía deu a primeira palinha de seu novo álbum com o lançamento de La Fama, ao lado de The Weeknd. Exaltada por renovar o interesse no flamenco com o disco El Mal Querer (vencedor do Grammy em 2018), a cantora revelou o título Motomami em novembro.

Charli XCX – CRASH – 18 de março

No primeiro single, Good Ones, a inusitada estrela pop da PC music (selo britânico que se tornou uma espécie de subgênero musical por reunir produtores que fazem uma versão hiperbólica do pop eletrônico) vestiu uma roupa de látex preta e rebolou num caixão para marcar a nova era que chega em março. A sonoridade dialoga com o visual de Charli XCX: um synthpop nada alegre, com batidas pesadas. O disco terá Rina Sawayama na lista de produtores e colaborações com Christine and the Queens e Caroline Polachek

Normani – data e título a confirmar

Revelada pelo girl group Fifth Harmony, Normani já marcou seu nome enquanto artista solo e criou uma base de fãs própria com os singles Motivation e Wild Side. Falta agora passar pelo teste do primeiro álbum. A expectativa é que o esperado disco chegue ainda no primeiro semestre do ano.

Liam Gallagher – C’MON YOU KNOW – 27 de maio

O mais encrenqueiro dos irmãos Gallagher também foi o que mais fez barulho com sua carreira solo, que ganha agora o terceiro álbum em menos de cinco anos.

Liam lançou As You Were em 2017, e logo alcançou o topo das paradas britânicas. O disco foi produzido pelo badalado Greg Kurstin (Adele, Sia, Paul McCartney), assim como seu sucessor, Why Me? Why Not. (2019), também exaltado por público e crítica, especialmente no Reino Unido.

Interpol – data e título a confirmar

Para quem se acostumou ao indie rock soturno do Interpol, o novo disco promete ser diferente de tudo o que o grupo lançou. Relaxado, positivo e empolgado são alguns dos adjetivos que a revista Rolling Stone usou ao antecipar a pegada de Paul Banks e companhia.

Os discos nacionais mais aguardados de 2022

Urias – FÚRIA – 13 de janeiro

O primeiro disco de estúdio apresenta Urias como uma artista dinâmica e plural. Divididas entre o canto e a rima, as faixas exploram gêneros e temáticas opostas de maneira provocativa. De rimas mais afiadas (Pode Mandar, Cadela) a um momento Tame Impala (Foi Mal), a artista potencializa a sonoridade explorada anteriormente no EP Urias, lançado em 2019. 

FÚRIA também brilha pelas colaborações de Vírus, Hodari, Charm Mone, Monna Brutal e Ebony, e transita, com excelência, nos ritmos do pop, drill, trap e r&b.

(Nicolle Cabral)

Pedro Sampaio – Chama Meu Nome – 2 de fevereiro

DJ, produtor e cantor, o carioca Pedro Sampaio soube aproveitar a exposição com as lives musicais dos primeiros meses de pandemia para virar um astro pop. Depois de emplacar hits com Anitta e Luísa Sonza e colar sua assinatura na boca do povo, Pedro lançou seu primeiro álbum cheio.

Com Chama Meu Nome, finca seu estilo de produção que parte da união entre funk e hip hop para explorar diferentes vertentes brasileiras, como o piseiro e o pagode. O disco traz ainda feats. com Ferrugem, MC Don Juan, Zé Vaqueiro, entre outros.

Gloria Groove – Lady Leste – 10 de fevereiro

Gloria Groove entregou em Lady Leste tudo o que prometia nos meses que antecederam o lançamento do álbum, quando adiantou os singles que viraram hits Bonekinha, Leilão e A Queda. É um grande baile, com o puro suco do pop brasileiro, condensado em 40 minutos. A festa da Lady Leste passa por funk, rap (em diferentes vertentes), reggaeton, brega, pagode e termina no pop-rock. Nesse meio, GG divide o microfone com amigos e ídolos, como Sorriso Maroto, Marina Sena, Priscilla Alcantara, MC Hariel e Tasha & Tracie. E Gloria canta muito, uma voz acima da média que funciona nos diferentes gêneros que ela explora.

Alçada em 2021 a popstar de alcance nacional, ainda mais após vencer o Show dos Famosos, da TV Globo, a drag queen soube aproveitar as benesses do status. O disco é grandioso, muito bem produzido, reunindo alguns dos principais produtores e compositores da música pop atual, como Pablo Bispo e Ruxell. Ainda assim, o álbum finca o pé no que importa: Gloria Groove é Lady Leste, da Zona Leste de São Paulo, uma artista que sonha alto, mas que homenageia MC Daleste (1992-2013) em Vermelho pela importância que teve na cultura local, e que agora ela faz questão de levar para o Brasil inteiro. No mínimo.

Vem aí

Anitta – Girl from Rio – data a confirmar

Anitta está esculpindo com todo o cuidado o trabalho que pretende marcar de vez sua posição enquanto artista internacional. Tanto é que o disco estava previsto para sair em 2021, mas acabou sendo adiado. Em agosto passado, ela esteve em estúdio com o sueco Max Martin, considerado o maior produtor do pop, e também gravou com Ryan Tedder, do OneRepublic, um artesão de hits para outros artistas. 

A cantora carioca marcou o início dessa era com Girl from Rio e Faking Love (feat. Saweetie) e promete entregar muito mais.

Foto da cantora Anitta com figurino vermelho para o clipe de Boys Don't Cry

Assista ao clipe de Boys Don't Cry

Anitta compôs a música com equipe do hitmaker sueco Max Martin

IZA – data e título a confirmar

Pesadona, IZA se tornou um dos grandes ícones da música pop brasileira nos últimos cinco anos. Porém, apesar de contar com hits como Pesadão, Ginga e a faixa-título, o álbum de estreia Dona de Mim deixou a impressão de que a cantora carioca poderia entregar mais em disco. Por isso, a expectativa para o sucessor é enorme. Produtor que participou de hits de Anitta a Aviões do Forró, Rafinha RSQ está no barco.

Chico Buarque – data e título a confirmar

O cantor e compositor carioca já começou a compor o sucessor de Caravanas, disco de 2017. Segundo o jornalista Mauro Ferreira, do G1, a ideia de Chico Buarque é lançar o novo álbum pela gravadora Biscoito Fino e voltar aos palcos com uma turnê inédita, na qual teria a companhia da cantora Mônica Salmaso. Tudo vai depender, porém, do desenrolar da pandemia de Covid-19.

Elza Soares – datas e títulos a confirmar

Uma das maiores vozes da música brasileira, a carioca morreu em janeiro, aos 91 anos intensamente vividos, por causas naturais. Dois dias antes de sair de cena, Elza Soares gravou um DVD de memórias no Theatro Municipal, em São Paulo. 

Empresário da cantora, Pedro Loureiro confirmou ainda que Elza Soares deixou um álbum de inéditas gravado. O tema será a crise política brasileira.

Criolo – Diário do Caos – março

Diário do Caos vai marcar o retorno do paulistano Criolo ao rap, gênero que o consagrou no início da década passada como um dos grandes compositores contemporâneos do país. Já lançadas, Fellini e Sistema Obtuso estarão no disco, assim como Cleane, faixa batizada com o nome da irmã do artista, uma das muitas vítimas da Covid-19 no Brasil.

Di Ferrero – data e título a confirmar

Revelado pelo NX Zero, um dos precursores do emo no Brasil, o cantor e compositor Di Ferrero segue com uma carreira solo sólida desde que a banda chegou ao fim, em 2017. Ele lançou um EP em 2019 e acabou de assinar contrato com a Slap, selo da Som Livre. O primeiro disco deve ser lançado aos poucos, com diversos singles, sendo o primeiro Aonde É o Céu, que ganhou clipe em novembro de 2021. 

Planet Hemp – data e título a confirmar

Aguardado pelos fãs há 22 anos, o quarto álbum da Ex-Quadrilha da Fumaça finalmente está perto de sair do papel, e de 2022 não passa. Segundo Marcelo D2, o disco terá participação de Black Alien em algumas faixas e um feat. com Criolo. Uma das ideias do Planet Hemp é dividir o trabalho em partes que sairão no streaming ao longo do ano.

Terno Rei – título a confirmar – 18 de março

Violeta (2019) fez o quarteto paulistano Terno Rei avançar diversas casas no tabuleiro que começa no indie e termina no mainstream. Tanto que a banda gravou releituras de faixas do disco com Samuel Rosa, do Skank, e acumulou shows com ingressos esgotados na retomada do fim de 2021. Antecipado pelo single Dias da Juventude, o novo álbum surge com a esperança de levar os rapazes para ainda mais longe.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Luccas Oliveira

Luccas Oliveira

Luccas Oliveira é editor de música na Tangerina e assina a coluna Na Grade, um guia sobre os principais shows e festivais que acontecem pelo país. Ex-jornal O Globo, fuçador do rock ao sertanejo e pai de gatos, trocou o Rio por São Paulo para curtir o fervo da noite paulistana.

Ver mais conteúdos de Luccas Oliveira

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal