MÚSICA

MD Chefe posa em foto de divulgação

Divulgação

Estilo 'tchutchuco'

Quem é MD Chefe, rapper que entrou no top 10 e virou ‘Rei da Lacoste’

Aos 25 anos, o rapper esbanja números notáveis nas plataformas digitais e estrela em campanhas publicitárias da Lacoste e Casas Bahia

Nicolle Cabral

Nicolle Cabral

“O homem que está se propondo a trazer o novo”, responde MD Chefe, nome artístico de Leonardo dos Santos Barreto, quando questionado pela Tangerina sobre quem é, afinal, MD Chefe. Aos 25 anos, o rapper está entre os artistas mais ouvidos do país com a sequência de hits Rei Lacoste e Tifanny, ambas agraciadas pelo algoritmo do TikTok. A última, inclusive, ganhou uma dancinha reproduzida por Gabigol, do Flamengo, e por Vinicius Junior, do Real Madrid.

MD, que se desenvolveu artisticamente nas batalhas de rap do Rio de Janeiro, hoje esbanja o título que o próprio codinome anuncia: chefe. Entre as criações musicais, o artista se desdobra também nas facetas de compositor, produtor e empresário do selo independente Offlei Sounds. Embora não aja como se essas atribuições estivessem separadas. “Abrir personas causa confusão. Se você é um só, firme e incisivo, você tem mais paz e discernimento para fazer as coisas”, explica.

Mas como tudo isso aconteceu? Embora o estouro viral possa despertar euforia, MD Chefe se sente calmo e no controle. “Sou um homem muito confiante. Então, sempre tive uma boa percepção para as coisas. Quando me dei conta que tinha esse ‘dote’ para a música, fui seguir essa parada”.

Segundo o músico, a guinada musical foi potencializada pela vontade de conquistar os próprios sonhos —e os de quem o acompanha. “A música para a rapaziada de favela é o lugar onde elas começam a fazer dinheiro de gente grande”, explica.

‘O Rei da Lacoste’

MD Chefe em trecho de clipe de Rei Lacoste

Assista ao clipe de Rei Lacoste

A produção conta com 72 milhões de visualizações

Com apenas nove meses de lançamento, Rei Lacoste coleciona 72 milhões de visualizações no YouTube, 52 milhões no Spotify e a tag que dá nome à faixa tem 35 milhões de conteúdos no TikTok. A canção integra o primeiro disco de estúdio do artista, Atg Tape, que estreou entre os top 10 lançamentos globais no Spotify. O registro contempla parcerias com MC Cabelinho, L7NNON e o amigo de longa data Dom Laike. “Mestre”, enfatiza o artista.

A canção deu tão certo, como MD Chefe já previa, que a Lacoste o convidou para participar de uma campanha publicitária como garoto propaganda. “Já tinha isso como objetivo”, confessa.

Segundo ele, a parceria com a marca “trouxe uma percepção maneira de como a gente usa, de como os favelados usam. Foi para mostrar para a rapaziada daqui que eles podem usar Lacoste, porque eu mostrei um novo jeito de usar a roupa. Apresentei para o morro que essa parada é maneira e, para as marcas, que nós estamos consumindo”. No resultado, ambos os lados saem ganhando.

O sucesso fez também que MD participasse de mais uma campanha publicitária. Dessa vez, com as Casas Bahia. O rapper foi convidado para cantar em um jingle sobre a Black Friday com Marília Mendonça (1995-2021), Péricles, Papatinho e DomLaike.

Capa do vídeo A Mais Disputada das Casas Bahia

Assista ao clipe de A Mais Disputada

A canção foi feita para divulgar a ação de Black Friday

Trap ‘trajadão’

A relação do artista com as marcas, contudo, não é à toa. Com voz marcante, grave, serena e sensual, MD Chefe canta sobre elegância, sofisticação e empoderamento. Nas composições, brinca com bordões e o estilo “tchutchuco” (do rapper chique e confortável), além de explorar descrições extravagantes sobre artigos de moda e luxo. Todos esses elementos narrativos, inclusive, fazem parte do movimento em que MD está inserido, o trap “trajadão”.

Dom Laike, Tz da Coronel (citado por Caetano Veloso em Meu Coco), Borges, Maneirinho, NGC Daddy e BIN são alguns dos nomes que acompanham esse movimento. O que era nomeado como “ostentação” faz parte do lifestyle desses artistas. Para MD, esse movimento traz identificação e aproxima as pessoas das marcas. “Mostra que elas também podem ter acesso a isso”.

Autêntico e freestyle

“Eu gosto da espontaneidade”, explica o rapper. Esse, inclusive, é um dos motivos pelo qual ele admira o gênero que está inserido: “O trap tem disso de ser natural”. Embora na carreira artística de MD não tenha existido exatamente uma transição do hip-hop para o trap, ele trouxe consigo uma característica comum dos tempos de batalhas de MCs: o freestyle. O artista afirma que prefere compor por cima das bases pela primeira vez, para capturar a essência do que ele precisa dizer naquele momento.

Nesse ritmo, as produções acabam sendo aceleradas. Em 2022, lançou o EP 22K MiniTape, em parceria com Kloe, Tshawtty, Jady e Negra Li, grande figura do hip-hop nacional. Juntos, cantam Tato e Sutileza. “Fiz a tape em uma estética retrô. Algumas coisas dos anos 2000 e outras de 2022, então nada mais justo do que convidar uma mulher de renome.”

Com o novo projeto, já garantiu o primeiro milhão: Burberry conquistou 1,6 milhões de visualizações em uma semana. Mas o sucesso não para por aí. MD adianta que já existem outros materiais a serem lançados: “Estou na fase que eu consegui as ferramentas, estrutura e recurso para atingir o meu objetivo. Mas ainda não atingi o que eu quero.”

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Nicolle Cabral

Nicolle Cabral

Antes de ser repórter da Tangerina, Nicolle Cabral passou por Rolling Stone, Revista Noize e Monkeybuzz. Nas horas vagas, banca a masterchef para os amigos, testa maquiagens e cantarola hits do TikTok.

Ver mais conteúdos de Nicolle Cabral

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal