MÚSICA

Anitta

Reprodução/Instagram/Anitta

Linha do tempo

De Show das Poderosas a Envolver: 10 vezes que Anitta chacoalhou o pop

Em celebração ao 29º aniversário da artista, a Tangerina destacou 10 canções que mostram o reinado de Anitta na música pop brasileira

Nicolle Cabral

Nicolle Cabral

Nesta quarta-feira (30), a primeira artista brasileira a atingir o posto de mais ouvida do mundo comemora 29 anos. Se você não esteve alheio às redes sociais nas últimas duas semanas, certamente saberá de quem estamos falando. Anitta conquistou a primeira posição do top global do Spotify com o hit Envolver e uniu o Brasil de um jeito que não víamos há muito tempo.

De milhares de desafios no TikTok a uma intensa campanha nas redes sociais, os brasileiros queriam Anitta no topo —e conseguiram. Agora, a cantora celebra o feito inédito prestes a lançar seu álbum mais aguardado. Motivos para comemorar não faltam em mais de 12 anos de carreira, marcados pela persistência e ousadia que a levaram a ser um dos nomes mais relevantes do mercado musical brasileiro e estrangeiro.

Além de artista de massa, Anitta ainda tem tempo para explorar seu lado empresária. Seja administrando a própria carreira ou em projetos para marcas, como conselheira do Nubank ou head de criatividade e inovação da Beats. A marca de bebidas, inclusive, celebrou os 29 anos da executiva lançando lacres colecionáveis que marcam grandes feitos de sua carreira, como alguns que vamos listar abaixo.

Por falar nisso, a Tangerina separou 10 canções da carioca para relembrar momentos em que ela revolucionou a música pop nacional. Vamos lá?

Show das Poderosas (2013)

Lançado em 2013, Show das Poderosas foi o primeiro single do disco homônimo da cantora. Naquele mesmo ano, o Brasil foi tomado pela coreografia da canção, reproduzida diversas vezes pela cantora nas turnês Show das Poderosas Tour (2013–2014), Meu Lugar Tour (2014–2015) e Bang Tour (2015–2017). Este foi o primeiro grande sucesso de Anitta, que a fez ir além do funk e virar uma das promessas do pop brasileiro.

O alcance da canção a levou para os principais programas da grade da TV Globo, como Esquenta!, Caldeirão do Huck, Encontro com Fátima Bernardes, Mais Você e Fantástico. A música também foi indicada ao Prêmio Multishow nas categorias de clipe do ano e música-chiclete —e venceu ambas.

A buzina que abre a canção ficou marcada na mente dos brasileiros: bastava tocar que os fãs erguiam as mãos para o alto e esperavam as coordenadas da cantora: “Prepara que agora é a hora/ Do show das poderosas/ Que descem e rebolam/ Afrontam as fogosas/ Só as que incomodam/ Expulsam as invejosas/ Que ficam de cara quando toca/ Prepara”. No balanço feito pela Crowley Broadcast Analysis (empresa especializada em aferimento de rádio desde 1997), a canção da artista ficou em 3º lugar no ranking das 100 músicas mais tocadas nas rádios brasileiras. Anitta só ficou atrás de Vidro Fumê, de Bruno & Marrone (2º), e Te Esperando, de Luan Santana, (1º).

Bang (2015)

Dois anos depois, Anitta lançou Bang!, single responsável por dar nome ao disco de maior sucesso da carreira da artista. O álbum conquistou a terceira posição no raking de mais vendidos do Brasil e levou Anitta a ser a primeira brasileira a ganhar o prêmio de melhor artista da América Latina no Europe Music Awards (EMA), premiação promovida pela MTV. A música ocupava o topo das mais tocadas nas rádios, segundo o relatório produzido pelo Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad).

Na época, a canção foi bem recebida pela crítica e ganhou um clipe super divertido, que misturava artes gráficas móveis e uma coreografia viciante —naquele momento, ninguém sequer pensava na obrigatoriedade de dancinhas para uma canção hitar. O vídeo conquistou 2 milhões de visualizações em um dia no YouTube. R&B, pop, trap e funk foram os principais ingredientes da faixa viciante, que motivou a artista a experimentar novas batidas em suas composições.

Deixa Ele Sofrer (2015)

Essencial para a fase pop da cantora, a canção virou o carro-chefe do terceiro disco, Bang, citado acima. Deixa Ele Sofrer foi a sétima música de Anitta a conquistar o topo do iTunes Brasil, ultrapassando Ed Sheeran, com Thinking Out Loud. No Spotify Brasil, a faixa pegou o primeiro lugar, dando a ela o marco de primeira artista brasileira a alcançar o topo na plataforma. Sete meses após o lançamento, a música contabilizava oito milhões de plays.

O lançamento do clipe também conquistou números notáveis: em 22 horas, ultrapassou um milhão de visualizações. Nessa época, a artista já batia os próprios recordes: Na Batida e Zen alcançaram a marca do milhão após 24 horas do lançamento. Com a receptividade positiva, Anitta foi coroada como “princesa do pop” por alguns veículos de mídia da América Latina.

Sim ou Não (2016)

Estreia no mercado colombiano, Sim ou Não foi a primeira colaboração da cantora com o cantor Maluma. Após brilhar na abertura das Olimpíadas Rio 2016, a cantora conquistou o primeiro lugar no iTunes Brasil com a faixa. Naquela época, Anitta já deixava bem claro o quanto queria investir na carreira internacional —sem dar a mínima para qualquer crítica que fariam.

Assim, a cantora lançou uma versão toda em espanhol da música, intitulada de Sí o No. A canção ficou entre as músicas mais pedidas nas rádios hispânicas naquele ano. Em 2021, a pesquisa “sim ou não anitta” no TikTok contou com 2 milhões de visualizações, e a faixa ganhou uma coreografia especial para o hit latino.

Paradinha (2017)

Gravada em espanhol, Paradinha foi outro grande sucesso de Anitta. Na época, a artista explorou os principais gêneros predominantes no mercado internacional: o dancehall e o reggaeton. Além disso, internacionalizou o famoso “quadradinho”, passo de funk indispensável nas coreografias hoje, especialmente da cantora. Comercialmente, a canção estreou na terceira posição da Billboard Brasil Hot 100 e entrou na lista de 60 músicas mais ouvidas no Portugal e no México.

O clipe, gravado em Nova York, conquistou 6,4 milhões de visualizações nas primeiras 24 horas no ar. No Spotify Brasil, a faixa conquistou 500 mil plays na plataforma, feito inédito para uma canção no Brasil. Além disso, esteve entre as 200 músicas mais ouvidas no mundo. Esse recorde da cantora só foi superado por Marília Mendonça (1995—2021) com Todo Mundo Vai Sofrer, hit sertanejo.

Sua Cara (2017)

Na vinda ao Brasil para o Lollapalooza 2016, Diplo (integrante do duo Jack Ü com Skrillex) conheceu Anitta e entregou para a artista uma demo do que se tornaria Sua Cara, grande hit da banda eletrônica Major Lazer com Pabllo Vittar e Anitta. O clipe, gravado no deserto do Saara, foi o mais rápido da história do YouTube a completar um milhão de likes. Em quarenta minutos após a estreia, o registro tinha 2,7 milhões de curtidas. Em 24 horas, 18 milhões de visualizações.

A faixa acabou integrando o disco Know No Better (2017), do Major Lazer, mas está presente até hoje nas apresentações da cantora. Na última sexta, 25, Vittar agitou o público do Lollapalooza com o hit. Nos Estados Unidos, Sua Cara conquistou a 22ª posição, enquanto em solos brasileiros a faixa estourou nos blocos de carnaval ao redor do país.

Downtown (2017)

Uma das palavras mais comuns ao falar dos hits de Anitta é recorde. Com Downtown, não seria diferente. A canção, escrita por Anitta e J Balvin, foi lançada como parte do projeto Check Mate, responsável por direcionar a carreira da cantora aos olhos do mercado internacional. E foi a primeira música da artista a ter uma indicação ao Grammy Latino, em 2018. A faixa entrou na categoria de melhor canção urbana.

Downtown colocou Anitta no radar por ser a primeira brasileira a aparecer no ranking Top 50 Global do Spotify. A faixa ocupou a 39ª posição. Naquele momento, ela mal sabia que o mesmo amigo ia encorajá-la a lançar uma música que dominaria o número 1 desse chart. A parceira com Balvin também entrou para o Top 200 Estados Unidos, e ficou à frente de artistas como Liam Payne, Avicii, Bruno Mars e Lorde. Downtown chegou a ganhar popularidade no TikTok, mas não conquistou a tsunami de vídeos de Envolver.

Vai Malandra (2018)

Em 2018, todo mundo parou para ver Anitta voltar ao funk —e espiar o biquíni feito de fita isolante, que bombou nas redes após o lançamento do clipe. Vai Malandra, parceria com MC Zaac, Maejor, Tropkillaz e DJ Yuri Martins, contemplou o projeto Check Mate, sendo a última música a ser lançada.

O clipe foi dirigido por Terry Richardson, filmado no Morro do Vidigal, no Rio de Janeiro. Em dois dias, atingiu a marca de 30 milhões de visualizações. Hip hop, trap e funk embalaram a produção que ficou na cabeça dos brasileiros. Naquele ano, a artista conseguiu emplacar três canções simultaneamente no chart de músicas mais ouvidas do Spotify, sendo Vai Malandra o primeiro hit nacional a conseguir mais de 1 milhão de plays no dia da estreia.

Boys Don’t Cry

Veio aí! A superprodução internacional de Anitta foi um sucesso estrondoso nos Estados Unidos. Na semana de lançamento, a faixa começou ocupando a 56ª posição e pulou para o 41º lugar na parada norte-americana. A canção foi a segunda música mais pedida nas estações de rádios americanas, impulsionando, assim, o crescimento do hit no país. As informações são do Hits Daily. Além disso, a produção aumentou em 400% as buscas pelo nome da cantora no Google, segundo análise do Google Trends.

Na onda do pop punk, Anitta mergulhou em referências da cultura pop para produzir um dos melhores clipes de 2022, até agora, além de ter cantado a música pela primeira vez ao vivo no programa The Tonight Show, de Jimmy Fallon. O barulho bom causada pela canção também levou a artista a ser convidada por Miley Cyrus para tocar o hit no segundo dia do Lollapalooza Brasil. A parceria entre as duas incendiou o Autódromo de Interlagos.

Envolver

Com menos investimento, Envolver foi o oposto de Boys Don’t Cry. Mas foi essa faixa que levou os brasileiros a se unirem como em uma Copa do Mundo. A única meta era colocar Envolver no topo do Top 50 Global do Spotify, e eles conseguiram. A balada latina marcou a primeira vez que a cantora carioca entrou no chart global com uma canção solo. 

Lembram do papo com J Balvin lá em cima? Pois é, foi o amigo que encorajou Anitta a não desistir da canção e fazer com que ela lançasse o hit sozinha, sem outras vozes. A canção demorou a cair na graça do público, mas quando caiu, deixou todo mundo “envolvido”.

Impulsionada pelo TikTok com “El Paso de Anitta”, a faixa, quando ocupava a 73ª posição, teve um pico de reproduções, e conquistou em dois dias a 48ª do ranking mundial do Spotify. Foram mais de 1,4 milhão de reproduções em 24 horas, sendo 80% delas vindas de fora do Brasil. Em poucos dias, a faixa cravou a marca no topo da plataforma. Agora, Envolver aparece no Top 5 das músicas mais ouvidas no mundo da Billboard Global, ocupando o quinto lugar. O nome da cantora já apareceu nesse chart com as canções Me Gusta, Modo Turbo, Girl from Rio e Boys Don’t Cry, mas nenhuma esteve entre as dez músicas mais ouvidas. Parece que Envolver vai engolir esse feito também.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Nicolle Cabral

Nicolle Cabral

Antes de ser repórter da Tangerina, Nicolle Cabral passou por Rolling Stone, Revista Noize e Monkeybuzz. Nas horas vagas, banca a masterchef para os amigos, testa maquiagens e cantarola hits do TikTok.

Ver mais conteúdos de Nicolle Cabral

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal