MÚSICA

Anitta

Divulgação/Netflix

Linha do tempo

As versões de Anitta: Da Furacão 2000 ao Coachella

Cantora carioca vai lançar novo álbum, intitulado Versions of Me. Mas, afinal, quais são as versões e fases que Anitta viveu até chegar ao patamar de estrela pop internacional? A gente resume as principais

Nicolle Cabral

Nicolle Cabral

Anitta, que lança disco nesta terça-feira (12), é um fenômeno da cultura pop brasileira. Como aponta o nome do álbum, Versions of Me, a trajetória da carioca de 29 anos passou por diferentes versões e fases até chegar ao posto de grande popstar brasileiro. Na verdade, agora, ela quer ir além e conquistar de vez outros territórios.

Após uma década de carreira, Anitta assumiu o posto de primeira brasileira a ter uma música no topo da parada norte-americana, divulgada pela revista Billboard. O hit responsável pela expansão da carreira no exterior é Envolver, balada latina e caliente lançada em novembro de 2021.

Antes, o esforço foi para conquistar o Top Global do Spotify, impulsionado pelos fiéis “Anitters“. Feito com muito êxito. Embora a versão solo não tenha sido encorajada pela gravadora, a artista contou com o poder do próprio fandom e o conselho do amigo e parceiro musical J Balvin, que acreditou desde o início no potencial hit.

Meses e desafios do TikTok depois, Anitta fez história na música brasileira. No próximo dia 15 de abril, ela sobe um novo degrau como uma das estrelas do line-up do Coachella, principal festival de música pop dos EUA.

Aquele meme tragicômico “início de um sonho/deu tudo certo” serviu mais do que bem na cantora. Quem vê a artista esbanjando números notáveis nas redes sociais e incontáveis plays nas plataformas de streaming sabe do esforço feito para ser reconhecida e respeitada musicalmente. Anitta faz questão de relembrar que é a dona da própria carreira e que sabe muito bem onde quer chegar. E chegou.

A fim de resgatar como esse talento chegou no auge, a Tangerina investigou as várias “fases de Anitta”, que devem, inclusive, ser apontadas no novo disco, Versions of Me. Se você, em algum momento, se perdeu nessa trajetória de suor e hits, a gente veio espremer isso para você.

Talento fisgado pela Furacão 2000

Nascida em Honório Gurgel, no Rio de Janeiro, Larissa Machado conquistou a atenção da Furacão 2000, maior produtora de funk carioca, depois de postar um vídeo de si mesma cantando com uma lata de desodorante. O produtor Renato Azevedo (DJ Batutinha), responsável pelo sucesso Amor de Chocolate, de Naldo, assistiu ao vídeo e entrou em contato com o talento. Foi lá que ela deu os primeiros passos como cantora de funk melody (um ritmo mais melódico e sem as letras “proibidonas”). Anitta passou a ser reconhecida nos paredões e nos bailes do Rio.

Desde nova cantando na igreja, Anitta já tinha tudo o que o funk precisava: uma boa voz e um rebolado (de salto alto) hipnotizante. Foi ela, inclusive, que criou o famoso “quadradinho”, passo do funk no qual se faz quatro paradinhas com um bumbum, desenhando um quadrado no ar. Depois dele, surgiu até o “quadradinho de oito”.

Ambiciosa e articulada desde sempre, conquistou a primeira canção nas rádios em 2010, com Eu Vou Ficar, que entrou no DVD Armagedom, sob a alçada da Furacão. Um ano depois, Fica Só Olhando, produção também da cantora, ganhou um espaço na segunda versão do DVD. Com a Furacão, lançou quatro faixas que posteriormente entraram no primeiro disco da cantora.

Mudança de rumo e investida no pop funk

A agitação da Anitta no Rio de Janeiro já movimentava muitos quadris, mas a cantora tinha potencial para conquistar mais. Foi quando, em junho de 2012, a empresária (à época) Kamilla Fialho, após ver a cantora se apresentar, quis cooptá-la para investir no pop funk. Em entrevistas, Fialho conta que pagou R$ 260 mil para tirar Anitta da Furacão 2000. E que, sem a gravadora, precisou investir, também, R$ 40 mil reais para gravar o primeiro grande clipe de Anitta: Meiga e Abusada.

Anitta em clipa de Meiga e Abusada

Assista ao clipe de Meiga e Abusada

A canção foi um marco na escalada de sucesso da cantora

A canção, em janeiro de 2013, entrou na lista das dez músicas mais pedidas das rádios brasileiras. O feito lhe rendeu um contrato com a Warner Music. A chegada a uma das maiores gravadoras do país deu a Anitta a primeira inserção em uma novela da TV Globo, Amor à Vida. A faixa entrou para a trilha da produção de horário nobre.

Show das Poderosas como divisor de águas

O alcance ao nível nacional, contudo, veio com o Show das Poderosas. Lançada em 2013, a canção foi carro-chefe do disco de mesmo nome. Naquele mesmo ano, o Brasil foi tomado pela coreografia da canção, reproduzida diversas vezes pela cantora nas turnês Show das Poderosas Tour (2013–2014), Meu Lugar Tour (2014–2015) e Bang Tour (2015–2017). Este foi o primeiro grande sucesso de alcance nacional de Anitta, que a fez ir além do funk e virar uma das promessas do pop brasileiro.

O alcance da canção a levou para os principais programas da grade da TV Globo, como Esquenta!, Caldeirão do Huck, Encontro com Fátima Bernardes, Mais Você e Fantástico. A música também foi indicada ao Prêmio Multishow nas categorias de clipe do ano e música-chiclete —e venceu ambas.

A buzina que abre a canção ficou marcada na mente dos brasileiros: bastava tocar que os fãs erguiam as mãos para o alto e esperavam as coordenadas da cantora: “Prepara que agora é a hora/ Do show das poderosas/ Que descem e rebolam/ Afrontam as fogosas/ Só as que incomodam/ Expulsam as invejosas/ Que ficam de cara quando toca/ Prepara”.

No balanço feito pela Crowley Broadcast Analysis (empresa especializada em aferimento de rádio desde 1997), a canção da artista ficou em 3º lugar no ranking das 100 músicas mais tocadas nas rádios brasileiras. Anitta só ficou atrás de Vidro Fumê, de Bruno & Marrone (2º), e Te Esperando, de Luan Santana, (1º). O videclipe teve como inspiração a canção Run the World (Girls), da cantora norte-americana Beyoncé.

Virou a própria chefe

Em 2014, diante do sucesso, Anitta quis fundar uma empresa para gerenciar a própria carreira, a Rodamoinho. Atualmente, inclusive, a marca gerencia a carreira do fenômeno Juliette Freire, vencedora do BBB 21. Segurando as próprias rédeas, a cantora fez a apresentação do primeiro DVD na Jeunesse Arena, casa de grande porte no Rio de Janeiro, no início de 2014.

Naquela noite, ela reuniu cerca de 10 mil pessoas. Todas já “embrazadas” pelos ritmos —e carisma— de Anitta. Na época, o single carro-chefe era Blá Blá Blá.

Quando o DVD chegou às prateleiras, ele veio acompanhado do segundo disco de estúdio de Anitta: Ritmo Perfeito. Foi o primeiro projeto da cantora focado na música pop, R&B e umas pitadas de electropop. Cobertor foi um dos singles mais famosos e contou com a parceria do rapper Projota. Na época, a cantora conquistou o certificado de ouro (com 50 mil cópias vendidas) pelo Pro-Música Brasil (PMB).

Na Batida, porém, foi o grande hit do disco. Quando o clipe foi lançado no YouTube, a cantora contabilizou 1 milhão de visualizações em 24 horas. Além de ter conquistado o quarto lugar nas músicas mais ouvidas das rádios do Brasil. Em 2019, Fialho, ex-empresária de Anitta, ganhou R$ 9 milhões de indenização da cantora após rompimento do contrato.

Princesa do pop

Depois do sucesso de Ritmo Perfeito, a artista anunciou o terceiro álbum de estúdio, Bang! (2015). Aí veio a virada de chave, de vez. O álbum conquistou a terceira posição no ranking de mais vendidos do Brasil e levou Anitta a ser a primeira brasileira a ganhar o prêmio de melhor artista da América Latina no Europe Music Awards (EMA), premiação promovida pela MTV. A faixa-título ocupava o topo das mais tocadas nas rádios, segundo o relatório produzido pelo Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad).

Na época, a canção foi bem recebida pela crítica e ganhou um clipe super divertido, que misturava artes gráficas móveis e uma coreografia viciante —naquele momento, ninguém sequer pensava na obrigatoriedade de dancinhas para uma canção hitar. O vídeo conquistou 2 milhões de visualizações em um dia no YouTube. R&B, pop, trap e funk foram os principais ingredientes da faixa viciante, que motivou a artista a experimentar novas batidas em suas composições. No Spotify Brasil, a faixa pegou o primeiro lugar, dando-lhe o marco de primeira artista brasileira a alcançar o topo na plataforma.

Deixa Ele Sofrer também foi um dos pontos fortes do disco. Foi a sétima música de Anitta a conquistar o topo do iTunes Brasil, ultrapassando Ed Sheeran, com Thinking Out Loud. No Spotify Brasil, a faixa pegou o primeiro lugar, dando-lhe o marco de primeira artista feminina brasileira a alcançar o topo na plataforma. Sete meses após o lançamento, a música contabilizava oito milhões de plays.

O lançamento do clipe também conquistou números notáveis: em 22 horas, ultrapassou um milhão de visualizações. Naquela época, a artista já batia os próprios recordes: Na Batida Zen alcançaram a marca do milhão após 24 horas do lançamento. Com a receptividade positiva, Anitta foi coroada como “princesa do pop” por alguns veículos de mídia da América Latina.

Consagrou os singles como uma fórmula para o sucesso

Com o alcance e renome, em 2016, a cantora estreou como apresentadora de TV na terceira temporada do programa Música Boa Ao Vivo, do Multishow. Em qualquer lugar, via-se o rosto de Anitta. Na abertura da cerimônia dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016, a cantora também apareceu cantando Sandália de Prata ao lado dos gigantes da MPB Caetano Veloso e Gilberto Gil. Na época, quem ainda não havia absorvido o sucesso meteórico da cantora, torceu o nariz. Mas isso não a desanimou.

A partir daí, Anitta entendeu uma brecha da indústria: na era das playlists, ela direcionou a sua energia de trabalho em singles para rechear o público com hits explosivos e super pops —mas sem esquecer do funk. E mirando, sempre, é claro, na carreira internacional. O objetivo maior teve partida ao lançar o primeiro single no mercado colombiano, Sim ou Não, em parceria com Maluma. Com o lançamento, a cantora conquistou o primeiro lugar no iTunes Brasil.

De 2017 em diante, portanto, Anitta apostou a carreira em colaborações e singles. Já no dia 6 de janeiro, lançou a canção Loka em parceria com a supla sertaneja Simone & Simaria, que despontou em sexto lugar na Billboard Brasil. A cantora já sabia que o sertanejo era o gênero dominante do Brasil e, portanto, usou do talento e bons contatos para conquistar este público também.

E ela não parou aí. Ainda no mesmo mês, o Brasil ouviu Você Partiu Meu Coração, música de Nego do Borel, com participação de Anitta e Wesley Safadão. A canção chegou até a ganhar um videoclipe inspirado no romance de Jorge Amado, Dona Flor e Seus Dois Maridos.

Escalada internacional

Alguns meses depois, em maio, Anitta lança a primeira colaboração em inglês com a rapper Iggy Azalea, a faixa Switch. A canção não rendeu muitos marcos, mas é peça do quebra-cabeça montado pela cantora antes de lançar o projeto CheckMate.

Inquieta, a artista deu mais um passo (certeiro), desta vez, em espanhol. A famosa Paradinha foi um grande sucesso da cantora. Na época, a artista explorou os principais gêneros predominantes no mercado internacional: o dancehall e o reggaeton. Comercialmente, a canção estreou na terceira posição da Billboard Brasil Hot 100 e entrou na lista de 60 músicas mais ouvidas no Portugal e no México.

No Spotify Brasil, a faixa conquistou 500 mil plays no primeiro dia na plataforma, feito inédito para uma canção no Brasil. Além disso, esteve entre as 200 músicas mais ouvidas no mundo.

No mesmo ano, surgiu um convite para lá de bem-vindo: uma colaboração com Major Lazer, banda eletrônica formada por Diplo, Ape Drums, Walshy Fire, Switch e Jillionaire. Desse contato, saiu mais um hit: Sua Cara, com Pabllo Vittar e Anitta. A faixa acabou integrando o disco Know No Better (2017) do grupo, mas está presente até hoje nas apresentações de ambas as cantoras. Em 2019, Anitta cantou a faixa em sua apresentação no Rock in Rio.

O clipe, gravado no deserto do Saara, foi o mais rápido da história do YouTube a completar um milhão de curtidas. Em quarenta minutos após a estreia, o registro tinha 2,7 milhões de likes. Em 24 horas, 18 milhões de visualizações. Nos Estados Unidos, Sua Cara conquistou a 22ª posição, enquanto em solos brasileiros a faixa estourou nos blocos de carnaval ao redor do país.

Projeto CheckMate

Após a chuva de hits e de ter sido convidada para ser a nova embaixadora da cerveja Skol, Anitta escolheu se dedicar unicamente a um projeto com foco internacional. Intitulado de CheckMate, o EP é formado de singles avulsos lançados pela cantora de setembro a dezembro de 2017, sendo eles Will I See You, Is That For Me, Downtown e Vai Malandra.

A primeira faixa foi produzida e escrita pelo produtor Poo Bear, que mistura ritmos da bossa nova com o pop tradicional. A ideia era cair nas rádios adultas contemporâneas. A segunda faixa foi uma parceria com o DJ sueco Alesso, um dos maiores do mundo. Is That for Me foi a faixa mais vendida no iTunes brasileiro no primeiro dia de lançamento, além de ter marcado a estreia de Anitta na lista Viral 50 no Spotify na 48ª posição. A cantora também pôde interpretar a faixa ao vivo no programa Encontro com Fátima Bernardes.

Outro grande hit do EP foi a parceria certeira com J Balvin, Downtown, focada no reggaeton. A canção levou a cantora a ganhar a primeira indicação ao Grammy Latino, em 2018, na categoria de melhor música urbana. Downtown também colocou Anitta no radar como primeira brasileira a aparecer no ranking Top 50 Global do Spotify. A faixa ocupou a 39ª posição. Naquele momento, ela mal sabia que o mesmo amigo ia encorajá-la a lançar uma música que dominaria o número 1 desse chart. A parceira com Balvin também entrou para o Top 200 Estados Unidos, e ficou à frente de artistas como Liam Payne, Avicii, Bruno Mars e Lorde.

O quarto e último lançamento foi Vai Malandra, parceria com MC Zaac, Maejor, Tropkillaz e DJ Yuri Martins. Neste momento, todo mundo parou para ver Anitta voltar ao funk —e espiar o biquíni feito de fita isolante, que bombou nas redes após o lançamento do clipe.

O clipe foi dirigido por Terry Richardson e filmado no Morro do Vidigal, no Rio de Janeiro. Em dois dias, atingiu a marca de 30 milhões de visualizações. Hip hop, trap e funk embalaram a produção que ficou na cabeça dos brasileiros. Naquele ano, a artista conseguiu emplacar três canções simultaneamente no chart de músicas mais ouvidas do Spotify, sendo Vai Malandra o primeiro hit nacional a conseguir mais de 1 milhão de plays no dia da estreia.

Onipresente também nas telinhas

Além de dominar as rádios de todo o país e colecionar recordes nas plataformas de música, Anitta também investiu pesado na carreira televisiva. Entre 2016 e 2017, enquanto pavimentava o sucesso musical, comandou o programa Música Boa Ao Vivo, no Multishow. Durante o período da cantora no programa, artistas como Ludmilla, Jota Quest, Kelly Key, Naiara Azevedo, Luan Santana e Ivete Sangalo se apresentaram.

No ano seguinte, na mesma emissora, Anitta comandou duas temporadas do programa Anitta Entrou no Grupo, onde ela recebia dois artistas por semana para um game show com competições, brincadeiras e pegadinhas. Em 2018, ela também estreou como jurada da sétima temporada do programa La Voz, no México, com Maluma, Carlos Rivera, e Natalia Jiménez. O programa foi ao ar no dia 30 de setembro e foi encerrado no dia 16 de dezembro.

Ainda no mesmo ano, ela cooptou a Birdo Studio para criar um desenho animado que educasse e divertisse as crianças. A série é baseado nos familiares e amigos de Anitta e estreou nos canais Gloob e Gloobinho. Em 2021, a série estreou a segunda temporada.

Além da vida animada, em 2018, Anitta também lançou a série documental Vai Anitta na plataforma Netflix. A produção da gigante do streaming mostra os bastidores da vida da cantora em seis episódios. A carreira no audiovisual acabou ganhando uma pausa para que a cantora pudesse se dedicar plenamente à carreira internacional.

Mais feats, mais hits —e polêmicas

Em fevereiro de 2019, a artista começou o ano com cinco novas colaborações. Foram elas: Terremoto com MC Kevinho; Bola Rebola com Tropkillaz, J Balvin e MC Zaac; uma nova versão de Zé do Caroço, com Jetlag; Te Lo Dije com Natti Natasha; e Favela Chegou com Ludmilla. Depois dos sucessos, ela se dedicou ao primeiro álbum visual e trilíngue da carreira, Kisses. O registro conquistou a quarta posição nas paradas musicais Latin Pop Albums e a décima na Top Latin Albums da Billboard.

Kisses incorpora canções em português, inglês e espanhol, além de brincar com os ritmos latinos como o reggaton, o pop latino, o próprio funk carioca e também o R&B e a MPB. O disco recebeu uma indicação na 20ª edição do Grammy Latino como melhor álbum de música urbana, embora Bad Bunny tenha levado o gramofone com o disco X 100pre.

O quarto álbum da cantora também conta com um dos hits mais polêmicos de sua carreira, a parceria com Ludmilla e Snoop Dog, Onda Diferente, assinada pelo produtor Papatinho. A faixa foi responsável por criar uma rixa entre as duas maiores figuras da música pop e retomar a discussão sobre direitos autorais das canções. Tudo começou após o ícone do axé Ivete Sangalo ter cantado Onda Diferente no Rock in Rio. Com isso, quando Ludmilla comemorou a presença da faixa no setlist da cantora, os fãs de Anitta apontaram que a ídolo também estava na lista de autoras da faixa e criticaram Lud.

Com a polêmica tomando forma nas redes sociais, Ludmilla gravou um vídeo onde revelou ter escrito Onda Diferente, mas que a sua gravadora não quis lançar. Tempo depois, a Anitta conheceu a canção e propôs uma parceria. Com isso, ela convidou o produtor Papatinho e o rapper Snoop Dogg, que canta um trecho em inglês, para colaborar na canção.

A exigência do rapper foi ter 50% dos créditos de autoria, enquanto os outros 50% ficariam com Ludmilla. Assim, Anitta e Papatinho ficaram creditados só como intérpretes. Na época, contudo, a polêmica continuou reverberando, gerando, assim, um climão entre os fãs das cantoras —que não se bicam até hoje.

Rock in Rio 2019

Em 2019, Anitta estreou no Rock in Rio relembrando a origem funkeira. Esse foi o primeiro show da história do festival em que o gênero, nascido nos morros cariocas, apareceu com força no palco Mundo, o mais importante da Cidade do Rock. Para a ocasião, a cantora recriou o Paredão da Furacão 2000 e convidou MC Andinho para subir ao palco e cantar um medley de clássicos.

Na seleção musical da cantora, surgiram os hits Show das Poderosas, Bang, Paradinha, Sua Cara e Vai Malandra. Ela também aproveitou o espaço para cantar as parcerias Romance com Safadeza, de Wesley Safadão, e Contatinho, com Leo Santana. Em uma hora de show, a artista conseguiu consagrar a carreira meteórica com funk, sertanejo e pop.

Assista Vai Malandra no Rock in Rio 2019

A cantora jogou em casa e fez uma apresentação cheia de hits

Versions of Me e Coachella 2022

Como um furacão, na mesma semana, Anitta se prepara para o lançamento mais esperado da carreira e as apresentações no Coachella, marcadas para 15 e 22 de abril. O festival acontece na Califórnia, nos Estados Unidos. Após ter o nome e a capa alterados —o disco até o final de março se chamaria Girl From Rio—, Anitta promete mostrar as várias versões de si mesma ao longo das canções, onde experimenta uma variedade de estilos.

Anitta: Mr. Catra estará no novo disco da cantora

A capa teve a direção criativa assinada por Maxime Quoilin, conhecido pelos trabalhos com Rihanna, Beyoncé, Jay-Z e Miley Cyrus

Divulgação

Ryan Tedder, o vocalista da banda OneRepublic que já escreveu hits para Beyoncé e Taylor Swift, é um dos nomes que tocou o projeto. Além dele, o hitmaker sueco Max Martin também marca presença. Na corrida para bater mais recordes, Anitta tem trocado informações do novo disco por “pre-saves” (quando um usuário avisa a plataforma que quer receber notificações sobre o lançamento).

Com isso, ela já liberou algumas informações sobre Versions of Me, que contará com a participação de Khalid, Ty Dolla $ign e YG. Além de ter uma participação póstuma de Mr. Catra, ícone do funk putaria e proibidão dos anos 2000.

O novo projeto também vai incorporar Me Gusta, single com Cardi B, lançado originalmente em 2020. Boys Don’t Cry, canção que surfa na onda do pop punk, também está no novo disco.

Enquanto faz os ensaios dos shows do Coachella no Rio, troca interações com os fãs no Twitter e comemora novos marcos, Anitta concedeu uma entrevista ao New York Times onde revelou que “só planejou” a vida dela até o Coachella. Embora a cantora não saiba para onde a nova empreitada musical internacional a levará, uma coisa é certa: não existem mais barreiras para Anitta.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Nicolle Cabral

Nicolle Cabral

Antes de ser repórter da Tangerina, Nicolle Cabral passou por Rolling Stone, Revista Noize e Monkeybuzz. Nas horas vagas, banca a masterchef para os amigos, testa maquiagens e cantarola hits do TikTok.

Ver mais conteúdos de Nicolle Cabral

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal