Selena Gomez ainda sofre com rótulo de ex-Disney, aos 30 - Tangerina

MÚSICA

Selena Gomez posa para selfie

Reprodução/Instagram

Aniversariante

Aos 30 anos, Selena Gomez ainda sofre com rótulo de ex-Disney

Com mais de duas décadas de carreira, artista norte-americana cogitou aposentadoria da música, mas segue firme com a atuação

Lucas Almeida
Lucas Almeida

Selena Gomez chega aos 30 anos nesta sexta-feira (22) com mais de duas décadas de carreira. A norte-americana decidiu ser atriz por volta dos seis anos e, hoje, não se esquiva de falar sobre como o rótulo de estrela mirim ainda afeta o seu reconhecimento em Hollywood.

Em entrevista à Vogue, no ano passado, Selena revelou que pensava em parar de fazer música. “Eu ainda vivo com essa sensação assombrosa de que as pessoas me veem como uma garota da Disney“, explicou ela na época, ao ver a repercussão do álbum Rare (2020). “Eu quero fazer uma última tentativa antes de talvez me aposentar da música.”

Desde então, ela não lançou um novo disco completo, mas segue firme na carreira de atriz com a série Only Murders in The Building —apesar de ter sido esnobada no Emmy 2022, como a única integrante do trio de protagonistas sem indicação.

Aos sete anos, Selena conseguiu o primeiro papel na série Barney e Seus Amigos (1992-2010) e se tornou uma estrela teen aos 12, depois de ser contratada pela Disney. Ela se mudou para Los Angeles com a mãe para viver a protagonista Alex Russo em Os Feiticeiros de Waverly Place (2007-2012). A carreira na música veio como consequência. Ela cantou a faixa de abertura da série e participou de outras canções produzidas pelo canal.

Entenda a relação de Selena Gomez com a Disney

Os objetivos musicais de Selena Gomez começaram a ganhar mais força ao longo dos anos. Ela assinou um contrato com a Hollywood Records (gravadora do grupo Disney, que também lançou Miley Cyrus e Demi Lovato) com 16 anos.

Inspirada pelo pop rock de Paramore e Fall Out Boy, a cantora queria ter uma banda. Em um vídeo postado em 2009, ela contou que a gravadora não ficou feliz com a ideia de o nome dela não aparecer no título (o que poderia representar problemas comerciais). Assim, encontraram um meio-termo, lançando a Selena Gomez & The Scene.

Durante o período em que Selena Gomez ainda estava na série da Disney, ela lançou três álbuns com a banda: Kiss & Tell (2009), A Year Without Rain (2010) e When the Sun Goes Down (2011). Os trabalhos tinham letras genéricas sobre amor e autoaceitação. Selena mal tinha tempo de participar da composição e produção das canções, enquanto estava em gravações ou em outros compromissos profissionais.

Em fevereiro de 2012, ela anunciou o já esperado hiato da banda. Na época, Os Feiticeiros de Waverly Place tinha terminado e Selena estava escalada para estrelar Spring Breakers: Garotas Perigosas (2012) e dublar Hotel Transilvânia (2012). “Este ano é todo para filmes e atuação”, comentou ela em um post no Facebook.

Erros e acertos na carreira solo

A exclusividade como atriz não durou muito tempo. Selena Gomez lançou o primeiro álbum solo, Stars Dance (2013), o primeiro da carreira a estrear no topo do ranking de mais vendidos nos Estados Unidos, a Billboard 200. O projeto ainda trouxe uma investida mais pop da cantora, que incorporou coreografias e bailarinos nos shows. Mesmo assim, as músicas tinham pouca personalidade.

No ano seguinte, ela finalizou o contrato com a Hollywood Records, com o lançamento do álbum de compilações For You (2014). Assim, encerrou também a última amarra com grupo Disney. A única música inédita do projeto se tornou a mais confessional da cantora até então: The Heart Wants What It Wants, em que falava sobre o relacionamento conturbado com Justin Bieber.

Ouça The Heart Wants What It Wants, de Selena Gomez

Canção foi o último lançamento da cantora pela Hollywood Records, gravadora da Disney

Em dezembro de 2014, Selena Gomez fechou contrato com a Interscope Records, a mesma gravadora em que está até hoje. No ano seguinte, ela lançou Revival (2015), um álbum em que trazia um tom mais maduro. O impacto já começou com o fato de que ela aparecia nua na capa. Foi durante esse período que ela começou a falar mais sobre os problemas de saúde mental e a batalha contra a doença autoimune lúpus.

Depois de experimentar algumas parcerias, como em Wolves (com o DJ Marshmello) e o reggaetton Taki Taki, do DJ Snake, Selena se encontrou no disco Rare (2020). Entre letras confessionais, como Vulnerable, a cantora conseguiu balancear o pop dançante com baladas mais sentimentais, representando as questões pessoais que já tinha aberto ao público anteriormente.

Foto em estúdio: Vem aí?

Mesmo com o acerto, ela ainda continua com as inseguranças da época da Disney. Selena Gomez fez o comentário sobre uma possível aposentaria durante a divulgação do EP Revelación (2021), o primeiro projeto completamente em espanhol. Desde então, ela gravou uma segunda temporada de Only Murders in The Building (a terceira já foi confirmada) e a quarta temporada do reality Selena+Chef, da HBO Max.

No início de julho, ela ainda postou um vídeo dentro de um estúdio de música. Em maio, Selena já tinha confirmado ao Deadline que estava trabalhando no sucessor do Rare (2020), em Los Angeles —mas não voltou a falar se essa realmente será a sua última tentativa ou se já fez as pazes com a carreira como cantora.

Informar Erro
Falar com a equipe
QUEM FEZ
Lucas Almeida

Lucas Almeida

Repórter. Passou pela MTV Brasil e Veja.com. É fã de um pop triste e não deixa de ouvir todos os lançamentos musicais da semana.

Ver mais conteúdos de Lucas Almeida

0 comentário

Tangerina é um lugar aberto para troca de ideias. Por isso, pra gente é super importante que os comentários sejam respeitosos. Comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, com palavrões, que incitam a violência, discurso de ódio ou contenham links vão ser deletados.

Acesse sua conta para comentar

Ainda não tem uma conta?

Conteúdo fresco, direto da fruta

Quer ficar por dentro das notícias do mundo pop? É só assinar nosso conteúdo semanal